Leite adulterado: Justiça aceita denúncia contra 13 pessoas no Rio Grande do Sul

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Promotores dizem que denunciados adulteraram o leite in natura entre dezembro de 2012 e maio de 2013. Eles responderão por adulteração de alimentos e formação de quadrilha

Agência Estado

Divulgação
Operação partiu da Promotoria de Justiça de Tapera

O juiz de Direito Ralph Moraes Langanke aceitou denúncia do Ministério Público do Rio Grande do Sul contra 11 e rejeitou contra um dos acusados pela adulteração do leite na região de Ibirubá, no noroeste do Rio Grande do Sul, em decisão tomada nesta segunda-feira (20).

Os promotores que atuaram no caso afirmam que, no período entre dezembro de 2012 a maio de 2013, os denunciados associaram-se para adulterar o leite in natura, mediante a adição de água e ureia, que contém formol, substância considerada cancerígena, em sua composição. Eles responderão por adulteração de alimentos e formação de quadrilha.

Leite adulterado:
Governo diz que vai estender investigação sobre crime para todo o País
Operação prende 8 acusados de adulterar leite no RS; empresa é interditada

O produtor rural Arcídio Cavalli foi excluído do processo. O juiz considerou que a ureia que o agricultor adquiriu no período foi entregue nas propriedades rurais que tem na região para ser usada como fertilizante. Em Guaporé, no nordeste do Estado, a Justiça aceitou denúncia do Ministério Público Estadual contra dois empresários que teriam montado esquema de adulteração do leite idêntico, mas sem conexões com o de Ibirubá. 

As ações penais tramitarão sob segredo de Justiça. O Ministério Público pode oferecer denúncia contra um terceiro grupo de fraudadores, da região de Horizontina, no oeste do Rio Grande do Sul, nesta semana.

Leia tudo sobre: GERALadulteraçãoleite adulteradoRio Grande do Sul

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas