Prefeitura interdita boate em campus, mas fecha os olhos para a Kiss

Por O Dia , Fernando Molica | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Balada que era mantida pelo diretório dos estudantes da Universidade Federal de Santa Maria foi fechada no dia 8. Diretor assume riscos, mas pede novos espaços para os jovens

A Prefeitura de Santa Maria usou pesos e medidas diferentes para avaliar boates do município gaúcho. Ao mesmo tempo em que manteve a Kiss aberta, interditou, no último dia 8, a que é mantida há 40 anos pelo Diretório Central dos Estudantes da Universidade Federal de Santa Maria (EFSM). “Foi a única a ser fechada nos últimos tempos”, afirmou Leonardo da Silva Soares, 22 anos, que é aluno do curso de Enfermagem e diretor do DCE.

Prefeito se antecipa a tragédia e diz: "Quem não fiscalizar deve perder mandato”
Confira a cobertura completa do iG sobre a tragédia em Santa Maria

Leonardo não considera injusta a interdição, admite que havia necessidade de melhorar as condições de segurança da boate, instalada no subsolo da Casa do Estudante Universitário I. O acesso é por uma escada acanhada, de dois lances, que fica nos fundos do prédio de oito andares no Centro de Santa Maria.

Familiares e amigos de vítimas da boate Kiss participam de vigília ue marca um ano da tragédia (27/01/2014). Foto: Luca Erbes/Futura PressGrupo reclama da falta de punição aos responsáveis pela tragédia. Foto: Luca Erbes/Futura PressSobreviventes da Kiss ainda tossem e expelem fuligem um ano após o incêndio . Foto:  Luca Erbes/Futura PressVigília em homenagem aos 242 mortos no incêndio. Foto: Luca Erbes/Futura PressUm ano depois da tragédia, Santa Maria se prepara para homenagear os 242 mortos do incêndio da boate Kiss. Foto: DivulgaçãoAlém do mortos, centenas de pessoas se feriram no incêndio ocorrido no dia 27 de janeiro de 2013. Foto: DivulgaçãoFachada da boate Kiss foi limpa nesta semana para as homenagens de um ano do incêndio em Santa Maria. Foto: DivulgaçãoFlores murchas foram retiradas e cartazes foram limpos por membros de algumas associações de familiares de vítimas da tragédia. Foto: DivulgaçãoFlores e cartazes com mensagens de familiares e amigos foram deixados na frente da boate Kiss após o incêndio. Foto: Vinícius Costa/Futura PressFogo em boate deixou centenas de mortos e feridos na madrugada de domingo; famílias buscam informações. Foto: Juliano Mendes/Futura PressFogo em boate deixou centenas de mortos e feridos na madrugada de domingo; famílias buscam informações. Foto: Juliano Mendes/Futura PressVítima é socorrida durante incêndio na boate em Santa Maria. Foto: Deivid Dutra/A RazãoVista da Boate Kiss após o incêndio controlado que tomou conta do local na madrugada deste domingo matando mais de 200 pessoas em Santa Maria (RS). Foto: Yuri Weber/Jornal A Razão/Ag. O DiaPoliciais civis realizam nova perícia na boate Kiss, centro de Santa Maria, no RS. Foto: Mauricio Barbosa/Futura PressPertences das vítimas ainda podem ser encontrados na entrada da casa noturna Kiss, em Santa Maria. Foto: Mauricio Barbosa/Futura PressPoliciais realizam nova perícia na boate Kiss, na cidade de Santa Maria, nesta terça-feira. Foto: Mauricio Barbosa/Futura PressAutoridade lê a lista de nomes com os sobreviventes do incêndio que passam por atendimento no centro esportivo próximo à boate Kiss. Foto: Yuri Weber/Jornal A Razão/Ag/O DiaEstado em que ficou o bar da boate Kiss após o incêndio que matou mais de 200 pessoas na madrugada deste domingo em Santa Maria (RS). Foto: Deivid Dutra/Jornal A Razão/Ag. O DiaFoto do resgaste de sobrevivente do incêndio que matou mais de 200 pessoas na boate Kiss, que sofreu um incêndio na madrugada deste domingo. Foto: Ricardo Giusti/O DiaDj Bolinha postou esta foto no Facebook antes do acidente. De acordo com testemunhas, os fogos de artifícios usados pela banda Gurizada Fandangueira provocaram o incêndio. Foto: Reprodução/FacebookdjbolinhasmFamiliares de vítimas do incêndio na boate Kiss, em Santa Maria, Rio Grande do Sul. Foto: AP Photo/Ronald Mendes-Agencia RBSBombeiros fazem o socorro na boate enquanto populares chegam para acompanhar o resgate. Foto: Deivid Dutra/A RazãoO fogo começou às 2h da manhã, quando faíscas de um show pirotécnico atingiu a espuma do teto. Foto: Deivid Dutra/A RazãoFachada da boate Kiss pouco após o incêndio que matou pelo menos 200 pessoas neste domingo. Foto: Associated Press/RBSJovem desacordado é socorrido após incêndio em boate em Santa Maria, Rio Grande do Sul. Foto: Associated Press/RBSFamiliares aguardam liberação para identificação dos corpos e informações em frente ao Centro Desportivo Municipal em Santa Maria (RS), na manhã deste domingo (27). Foto: Rafael Happke/Futura PressFogo em boate deixou centenas de mortos e feridos na madrugada de domingo; famílias buscam informações. Foto: Juliano Mendes/Futura PressFogo em boate deixou centenas de mortos e feridos na madrugada de domingo; famílias buscam informações. Foto: Juliano Mendes/Futura PressBoate pegou fogo a partir das 2h, dizem bombeiros. Nº de mortos não é oficial e pode aumentar. Foto: Divulgação/Um SantamariensePM deposita flores em homenagem aos mais de 230 mortos na calçada da boate Kiss, no centro. Foto: ReutersEnterro da estudante Mariana Callegari, morta no incêndio da boate Kiss. Foto: ReutersFoto da Fuel mostra que festa universitária, realizada em setembro, teve atrações com fogo (canto esq.). Foto: Reprodução/FacebookCentenas de pessoas participaram de uma vigília em frente à boate Kiss, em Santa Maria, após missa de sétimo dia na Catedral Medianeira. Foto: Futura PressFamiliares e amigos participam do velório de Gustava Marques, que teve morte cerebral ontem (29). Foto: Wilson Dias/Agência BrasilFamiliares participam do velório de Gustava Marques, que teve morte cerebral. Na foto, a mãe Elaine Gonçalves. Foto: Wilson Dias/Agência BrasilFamiliares e amigos participam do velório de Gustava Marques, que teve morte cerebral ontem (29)
. Foto: Wilson Dias/Agência BrasilFamiliares e amigos participam do velório de Gustava Marques, que teve morte cerebral ontem (29)
. Foto: Wilson Dias/Agência BrasilFamiliares e amigos participam do sepultamento do estudante Silvio Beuren, em Santa Maria. Foto: ReutersMilhares fazem passeata em homenagem às vítimas que morreram no incêndio na boate Kiss. Foto: Wilson Dias/Agência BrasilGarota se emociona durante caminhada em homenagem às vítimas (28/01). Foto: APMilhares fazem passeata em homenagem às vítimas que morreram no incêndio na boate Kiss. Foto: Wilson Dias/Agência BrasilPessoas carregam cartazes em caminhada de protesto (28/01). Foto: APJovens participam de caminhada nos arredores da boate Kiss (28/01). Foto: APAlunos durante homenagens na volta às aulas da Universidade Federal Santa Maria (UFSM), nesta segunda-feira (04). Foto: Wesley Santos/Futura PressAlunos durante homenagens na volta às aulas da Universidade Federal Santa Maria (UFSM), nesta segunda-feira (04). Foto: Wesley Santos/Futura PressAlunos durante homenagens na volta às aulas da Universidade Federal Santa Maria (UFSM), nesta segunda-feira (04). Foto: Wesley Santos/Futura PressAlunos durante homenagens na volta às aulas da Universidade Federal Santa Maria (UFSM), nesta segunda-feira (04). Foto: Wesley Santos/Futura PressAlunos durante homenagens na volta às aulas da Universidade Federal Santa Maria (UFSM), nesta segunda-feira (04). Foto: Wesley Santos/Futura PressAlunos durante homenagens na volta às aulas da Universidade Federal Santa Maria (UFSM), nesta segunda-feira (04). Foto: Wesley Santos/Futura PressAlunos durante homenagens na volta às aulas da Universidade Federal Santa Maria (UFSM), nesta segunda-feira (04). Foto: Wesley Santos/Futura PressAlunos durante homenagens na volta às aulas da Universidade Federal Santa Maria (UFSM), nesta segunda-feira (04). Foto: Wesley Santos/Futura PressSepultamento da vítima Alexandre Machado em cemitério na cidade de Santa Maria. Foto: ReutersAlunos durante homenagens na volta às aulas da Universidade Federal Santa Maria (UFSM), nesta segunda-feira (04). Foto: Wesley Santos/Futura PressHomem chora durante enterro de Vinicius Rosado, que morreu em incêndio em casa noturna em Santa Maria, Rio Grande do Sul. Foto: APEnterro das vítimas do incêndio da boate Kiss, em Santa Maria, nesta segunda-feira
. Foto: Vinicius Costa/FuturapressEnterro das vítimas do incêndio da boate Kiss, em Santa Maria, nesta segunda-feira
. Foto: Vinícius Costa/Futura PressEnterro das vítimas do incêndio na boate Kiss, em Santa Maria (RS), no Cemitério Municipal. Foto: Vinícius Costa/Futura PresEnterro do soldado Leonardo Machado em cemitério na cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Foto: APGladimir Callegaro (2º à D), pai da vítima Marina Callegaro, e outros parentes choram durante seu enterro em cemitério na cidade de Santa Maria (28/1). Foto: APParentes e amigos são vistos perto de caixão durante enterro de Tanise Cielo, vítima de incêndio em Santa Maria (28/1). Foto: APFamiliares levam caixões para os cemitérios da cidade de Santa Maria, nesta segunda-feira (28). Foto: Vinicius Costa/FuturapressFamiliares levam caixões para os cemitérios da cidade de Santa Maria, nesta segunda-feira (28). Foto: Vinícius Costa/Futura PressVelório coletivo é realizado na quadra do Centro Desportivo Municipal na noite de domingo (27/01). Foto: Vinicius Costa/FuturapressAmigos e familiares das vítimas se emocionam durante velório coletivo (27/01). Foto: Vinicius Costa/FuturapressParentes e amigos participam de velório de vítima de incêndio na Boate Kiss em Santa Maria, Rio Grande do Sul (27/01). Foto: APAmigos e familiares das vítimas se emocionam durante velório coletivo (27/01). Foto: Vinícius Costa/Futura PressVelório coletivo é realizado em um ginásio do Centro Desportivo Municipal, ao lado do pavilhão para onde os corpos retirados da casa noturna foram levados. Foto: Futura PressVítimas do incêndio são veladas no ginásio de Santa Maria. Foto: Futura PressA presidenta Dilma Rousseff durante visita às famílias das vítimas da tragédia ocorrida em boate em Santa Maria. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR Presidenta Dilma Rousseff se emociona em pronunciamento sobre incêndio em boate em Santa Maria. Foto: AP

Com cerca de 300 metros quadrados, em nada lembra a decoração sofisticada daquela onde morreram centenas de frequentadores na madrugada do último domingo (27). A boate do DCE tem piso de cerâmica e paredes pintadas de preto em que proliferam imagens de ícones do universo pop como Beatles e Bob Marley.

No ano passado, vistoria feita pelo Corpo de Bombeiros exigiu a colocação de luzes de emergência e a troca do mecanismo de abertura das portas de emergência, que dão acesso a uma área interna do edifício. Todas ganharam mecanismos antipânico.

“Tragédia mostra falta de conhecimento das autoridades brasileiras”
Infográfico: Veja como aconteceu o incêndio na boate em Santa Maria
Galeria: Saiba quem são as vítimas do incêndio em boate de Santa Maria

As mudanças ainda não foram checadas pelos Bombeiros. Segundo Leonardo, a vistoria marcada para esta semana foi adiada por conta da tragédia na Kiss. Frequentar a boate não doía no apertado bolso dos estudantes. A entrada era gratuita e três garrafas de cerveja de 600 ml podiam ser compradas por R$ 10.

“Foi fechado um lugar onde não havia cobrança de ingresso, as pessoas entravam e saíam. Já a outra, um empreendimento comercial, ficou aberta”, reclamou Laurem Aguiar, 20 anos, aluna de Terapia Ocupacional.

Universidade planeja culto e como receberá estudantes

Um culto ecumênico no Espaço Multiúso do campus marcará, às 9h da próxima segunda-feira (4), o reinício das aulas na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), suspensas desde a tragédia na boate Kiss. Até ontem, 104 alunos da instituição haviam morrido em consequência do incêndio.

Nos últimos dias, o reitor Felipe Martins Müller tem feito reuniões para planejar a retomada das atividades e o acolhimento dos estudantes. Equipes de psicólogos e assistentes sociais da UFSM têm atuado junto às famílias de mortos e feridos.

De acordo com a reitoria, detalhes ainda precisam ser definidos, como a necessidade de uma maior atenção para turmas em que houve muitas mortes, como no casos dos cursos de Agronomia e Tecnologia de Alimentos.

A direção da UFSM sabe que enfrentará momentos delicados nos próximos dias. Será preciso, por exemplo, definir como serão recolhidos os objetos de alunos mortos e que moravam na Casa do Estudante Universitário.

Vigilância Sanitária atesta que havia perturbação do sossego público

O Ministério Público Federal vinha cobrando providências em relação à boate - além de questões de segurança, vizinhos reclamavam do barulho. A interdição acabou sendo determinada pela Vigilância Sanitária do município, que atestou perturbação do sossego público e, segundo Leonardo, da ausência de itens como sabonetes líquidos nos banheiros.

O rigor, avalia, pode estar relacionado com a tensa relação do DCE com o prefeito Cezar Shirmer (PMDB), envolvidos há muito tempo em uma briga em torno do preço das passagens de ônibus. No início da noite de terça-feira, estudantes que participaram de uma passeata pela punição dos responsáveis pelas mortes na Kiss não economizaram vaias ao passar diante do prédio da prefeitura.

Como o ‘Informe do DIA’ registrou dia 28, a interdição foi muito criticada pelo DCE ,que, em nota, a classificou de perseguição política e de ‘medida autoritária’. Para a entidade, o gesto fazia parte de processo de criminalização dos ‘espaços públicos culturais da juventude’.

Leonardo Soares faz coro: diz que o fechamento da boate diminuiu ainda mais as poucas opções de lazer dos estudantes. “O poder público também tem a obrigação de criar espaços de convivência para a juventude”, conclui.

Leia tudo sobre: incêndio em santa maria

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas