Marcada pela tragédia, população de Santa Maria tenta retomar a rotina

Por Ricardo Galhardo - enviado a Santa Maria (RS) | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Várias lojas da cidade seguem fechadas, ruas congestionadas do centro estão tranquilas e semblante da população é triste. Para psicólogo, choque deve passar em alguns dias

“Neste primeiro momento as pessoas estão chocadas. É uma reação natural. Ainda não caiu a ficha”, disse o psicólogo Eduardo Reuwsaat Guimarães, um dos seis integrantes do Núcleo de Estresse e Trauma da PUC do Rio Grande do Sul enviados voluntariamente a Santa Maria para dar auxílio às pessoas afetadas pelo incêndio na boate Kiss.

Bombeiros: Boate cumpria normas, mas obstáculos e lotação ampliaram tragédia
Infográfico: Veja como aconteceu o incêndio na boate em Santa Maria
Saiba quem são as vítimas do incêndio em boate de Santa Maria

Mauricio Barbosa/Futura Press
Policiais realizaram nova perícia na boate Kiss, na cidade de Santa Maria, nesta terça-feira

Dois dias depois da tragédia que matou mais de 230 pessoas, a cidade de 260 mil habitantes tenta retomar a rotina, mas as sequelas são visíveis. Vários estabelecimentos comerciais continuam fechados, as ruas estreitas e congestionadas do centro estão tranquilas, o semblante da população é triste, muitas casas exibem faixas pretas de luto ou cartazes em homenagem às vítimas, todas as festas e comemorações foram canceladas.

Por volta das 11h, uma moça quase caiu da moto quando passava na frente do hospital de Caridade, onde estão 38 das 75 pessoas em estado grave por causa do incêndio. Os olhos dela estavam cheios de lágrimas.

Luto coletivo: 234 mortos em Santa Maria e 190 milhões de luto no Brasil

“Perdi dois amigos muito queridos. Outro está em estado grave. Quando passei na frente do hospital vi os parentes dos feridos e não consegui segurar o choro. As lágrimas embaçaram tudo e quase caí”, disse a mulher que não quis se identificar.

Ricardo Galhardo/iG
Cartaz do clube Caxeiral, que estará fechado até março

Na entrada do centenário Clube Caixeiral Santa Maria, o mais antigo da cidade, com 125 anos, um cartaz avisa: “Estão suspensos todos os eventos do clube em respeito às vítimas da tragédia da boate Kiss. Retornamos em março”.

“A gente parece que está até meio tonto”, disse João Carlos Pereira, funcionário do clube, resumindo o sentimento de grande parte da cidade.

O luto não é o único motivo para suspensão das festas. A maioria das casas noturnas e bares agitados de Santa Maria fechou preventivamente por medo de não atenderem às normas de segurança. O clube Caxeiral, por exemplo, não possui saída de emergência.

Segundo a estudante de Tecnologia de Alimentos Bárbara Kuschinski, 20 anos, uma das sobreviventes do incêndio, quase todas as casas noturnas de Santa Maria apresentavam as mesmas falhas de segurança da Kiss. “É tudo a mesma coisa. A única boate que poderia dar um pouco mais de segurança é a Absinto (cujo dono é um dos sócios da Kiss) que tem duas portas de saída”, disse Bárbara.

O trauma causado pela tragédia deve fazer com que todas os locais de diversão da cidade melhorem a segurança. “Algumas casas noturnas fecharam em respeito às vítimas mas também devido à necessidade de informações completas sobre alvarás e normas de segurança”, afirmou Cleverton Rossa da Rocha, diretor executivo da Câmara de Dirigentes Lojistas de Santa Maria.

Segundo ele, é impossível mensurar o impacto da tragédia na economia local mas o prejuízo é certo. “A cidade vive do comércio e de serviços e os universitários que vem de fora são um segmento importante e que foi muito afetado. É normal que durante algum tempo o impacto da tragédia modifique hábitos dos consumidores”, disse ele.

Familiares e amigos de vítimas da boate Kiss participam de vigília ue marca um ano da tragédia (27/01/2014). Foto: Luca Erbes/Futura PressGrupo reclama da falta de punição aos responsáveis pela tragédia. Foto: Luca Erbes/Futura PressSobreviventes da Kiss ainda tossem e expelem fuligem um ano após o incêndio . Foto:  Luca Erbes/Futura PressVigília em homenagem aos 242 mortos no incêndio. Foto: Luca Erbes/Futura PressUm ano depois da tragédia, Santa Maria se prepara para homenagear os 242 mortos do incêndio da boate Kiss. Foto: DivulgaçãoAlém do mortos, centenas de pessoas se feriram no incêndio ocorrido no dia 27 de janeiro de 2013. Foto: DivulgaçãoFachada da boate Kiss foi limpa nesta semana para as homenagens de um ano do incêndio em Santa Maria. Foto: DivulgaçãoFlores murchas foram retiradas e cartazes foram limpos por membros de algumas associações de familiares de vítimas da tragédia. Foto: DivulgaçãoFlores e cartazes com mensagens de familiares e amigos foram deixados na frente da boate Kiss após o incêndio. Foto: Vinícius Costa/Futura PressFogo em boate deixou centenas de mortos e feridos na madrugada de domingo; famílias buscam informações. Foto: Juliano Mendes/Futura PressFogo em boate deixou centenas de mortos e feridos na madrugada de domingo; famílias buscam informações. Foto: Juliano Mendes/Futura PressVítima é socorrida durante incêndio na boate em Santa Maria. Foto: Deivid Dutra/A RazãoVista da Boate Kiss após o incêndio controlado que tomou conta do local na madrugada deste domingo matando mais de 200 pessoas em Santa Maria (RS). Foto: Yuri Weber/Jornal A Razão/Ag. O DiaPoliciais civis realizam nova perícia na boate Kiss, centro de Santa Maria, no RS. Foto: Mauricio Barbosa/Futura PressPertences das vítimas ainda podem ser encontrados na entrada da casa noturna Kiss, em Santa Maria. Foto: Mauricio Barbosa/Futura PressPoliciais realizam nova perícia na boate Kiss, na cidade de Santa Maria, nesta terça-feira. Foto: Mauricio Barbosa/Futura PressAutoridade lê a lista de nomes com os sobreviventes do incêndio que passam por atendimento no centro esportivo próximo à boate Kiss. Foto: Yuri Weber/Jornal A Razão/Ag/O DiaEstado em que ficou o bar da boate Kiss após o incêndio que matou mais de 200 pessoas na madrugada deste domingo em Santa Maria (RS). Foto: Deivid Dutra/Jornal A Razão/Ag. O DiaFoto do resgaste de sobrevivente do incêndio que matou mais de 200 pessoas na boate Kiss, que sofreu um incêndio na madrugada deste domingo. Foto: Ricardo Giusti/O DiaDj Bolinha postou esta foto no Facebook antes do acidente. De acordo com testemunhas, os fogos de artifícios usados pela banda Gurizada Fandangueira provocaram o incêndio. Foto: Reprodução/FacebookdjbolinhasmFamiliares de vítimas do incêndio na boate Kiss, em Santa Maria, Rio Grande do Sul. Foto: AP Photo/Ronald Mendes-Agencia RBSBombeiros fazem o socorro na boate enquanto populares chegam para acompanhar o resgate. Foto: Deivid Dutra/A RazãoO fogo começou às 2h da manhã, quando faíscas de um show pirotécnico atingiu a espuma do teto. Foto: Deivid Dutra/A RazãoFachada da boate Kiss pouco após o incêndio que matou pelo menos 200 pessoas neste domingo. Foto: Associated Press/RBSJovem desacordado é socorrido após incêndio em boate em Santa Maria, Rio Grande do Sul. Foto: Associated Press/RBSFamiliares aguardam liberação para identificação dos corpos e informações em frente ao Centro Desportivo Municipal em Santa Maria (RS), na manhã deste domingo (27). Foto: Rafael Happke/Futura PressFogo em boate deixou centenas de mortos e feridos na madrugada de domingo; famílias buscam informações. Foto: Juliano Mendes/Futura PressFogo em boate deixou centenas de mortos e feridos na madrugada de domingo; famílias buscam informações. Foto: Juliano Mendes/Futura PressBoate pegou fogo a partir das 2h, dizem bombeiros. Nº de mortos não é oficial e pode aumentar. Foto: Divulgação/Um SantamariensePM deposita flores em homenagem aos mais de 230 mortos na calçada da boate Kiss, no centro. Foto: ReutersEnterro da estudante Mariana Callegari, morta no incêndio da boate Kiss. Foto: ReutersFoto da Fuel mostra que festa universitária, realizada em setembro, teve atrações com fogo (canto esq.). Foto: Reprodução/FacebookCentenas de pessoas participaram de uma vigília em frente à boate Kiss, em Santa Maria, após missa de sétimo dia na Catedral Medianeira. Foto: Futura PressFamiliares e amigos participam do velório de Gustava Marques, que teve morte cerebral ontem (29). Foto: Wilson Dias/Agência BrasilFamiliares participam do velório de Gustava Marques, que teve morte cerebral. Na foto, a mãe Elaine Gonçalves. Foto: Wilson Dias/Agência BrasilFamiliares e amigos participam do velório de Gustava Marques, que teve morte cerebral ontem (29)
. Foto: Wilson Dias/Agência BrasilFamiliares e amigos participam do velório de Gustava Marques, que teve morte cerebral ontem (29)
. Foto: Wilson Dias/Agência BrasilFamiliares e amigos participam do sepultamento do estudante Silvio Beuren, em Santa Maria. Foto: ReutersMilhares fazem passeata em homenagem às vítimas que morreram no incêndio na boate Kiss. Foto: Wilson Dias/Agência BrasilGarota se emociona durante caminhada em homenagem às vítimas (28/01). Foto: APMilhares fazem passeata em homenagem às vítimas que morreram no incêndio na boate Kiss. Foto: Wilson Dias/Agência BrasilPessoas carregam cartazes em caminhada de protesto (28/01). Foto: APJovens participam de caminhada nos arredores da boate Kiss (28/01). Foto: APAlunos durante homenagens na volta às aulas da Universidade Federal Santa Maria (UFSM), nesta segunda-feira (04). Foto: Wesley Santos/Futura PressAlunos durante homenagens na volta às aulas da Universidade Federal Santa Maria (UFSM), nesta segunda-feira (04). Foto: Wesley Santos/Futura PressAlunos durante homenagens na volta às aulas da Universidade Federal Santa Maria (UFSM), nesta segunda-feira (04). Foto: Wesley Santos/Futura PressAlunos durante homenagens na volta às aulas da Universidade Federal Santa Maria (UFSM), nesta segunda-feira (04). Foto: Wesley Santos/Futura PressAlunos durante homenagens na volta às aulas da Universidade Federal Santa Maria (UFSM), nesta segunda-feira (04). Foto: Wesley Santos/Futura PressAlunos durante homenagens na volta às aulas da Universidade Federal Santa Maria (UFSM), nesta segunda-feira (04). Foto: Wesley Santos/Futura PressAlunos durante homenagens na volta às aulas da Universidade Federal Santa Maria (UFSM), nesta segunda-feira (04). Foto: Wesley Santos/Futura PressAlunos durante homenagens na volta às aulas da Universidade Federal Santa Maria (UFSM), nesta segunda-feira (04). Foto: Wesley Santos/Futura PressSepultamento da vítima Alexandre Machado em cemitério na cidade de Santa Maria. Foto: ReutersAlunos durante homenagens na volta às aulas da Universidade Federal Santa Maria (UFSM), nesta segunda-feira (04). Foto: Wesley Santos/Futura PressHomem chora durante enterro de Vinicius Rosado, que morreu em incêndio em casa noturna em Santa Maria, Rio Grande do Sul. Foto: APEnterro das vítimas do incêndio da boate Kiss, em Santa Maria, nesta segunda-feira
. Foto: Vinicius Costa/FuturapressEnterro das vítimas do incêndio da boate Kiss, em Santa Maria, nesta segunda-feira
. Foto: Vinícius Costa/Futura PressEnterro das vítimas do incêndio na boate Kiss, em Santa Maria (RS), no Cemitério Municipal. Foto: Vinícius Costa/Futura PresEnterro do soldado Leonardo Machado em cemitério na cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Foto: APGladimir Callegaro (2º à D), pai da vítima Marina Callegaro, e outros parentes choram durante seu enterro em cemitério na cidade de Santa Maria (28/1). Foto: APParentes e amigos são vistos perto de caixão durante enterro de Tanise Cielo, vítima de incêndio em Santa Maria (28/1). Foto: APFamiliares levam caixões para os cemitérios da cidade de Santa Maria, nesta segunda-feira (28). Foto: Vinicius Costa/FuturapressFamiliares levam caixões para os cemitérios da cidade de Santa Maria, nesta segunda-feira (28). Foto: Vinícius Costa/Futura PressVelório coletivo é realizado na quadra do Centro Desportivo Municipal na noite de domingo (27/01). Foto: Vinicius Costa/FuturapressAmigos e familiares das vítimas se emocionam durante velório coletivo (27/01). Foto: Vinicius Costa/FuturapressParentes e amigos participam de velório de vítima de incêndio na Boate Kiss em Santa Maria, Rio Grande do Sul (27/01). Foto: APAmigos e familiares das vítimas se emocionam durante velório coletivo (27/01). Foto: Vinícius Costa/Futura PressVelório coletivo é realizado em um ginásio do Centro Desportivo Municipal, ao lado do pavilhão para onde os corpos retirados da casa noturna foram levados. Foto: Futura PressVítimas do incêndio são veladas no ginásio de Santa Maria. Foto: Futura PressA presidenta Dilma Rousseff durante visita às famílias das vítimas da tragédia ocorrida em boate em Santa Maria. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR Presidenta Dilma Rousseff se emociona em pronunciamento sobre incêndio em boate em Santa Maria. Foto: AP

Segundo o psicólogo Eduardo Guimarães, os sintomas de choque devem passar em alguns dias. Mas depois que a “ficha cair” podem surgir os casos mais sérios de traumas ou depressão causados pela tragédia.

“O que estamos fazendo agora é prestar os primeiros socorros. Se em alguns meses as respostas emocionais continuarem muito exacerbadas é recomendável procurar auxílio. Fatos como estes podem causar transtorno de estresse pró-traumático ou depressão”, disse ele.

De acordo com Guimarães, parentes das vítimas, sobreviventes do incêndio e funcionários da boate são ao que mais buscaram apoio psicológico até agora. A equipe da PUC-RS está treinando funcionários da prefeitura para que o atendimento seja mantido nos próximos meses.

Leia tudo sobre: incêndio em santa mariaboate kiss

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas