Justiça bloqueia bens dos donos de boate em Santa Maria

Por O Dia |

compartilhe

Tamanho do texto

Pedido foi feito para garantir a futura indenização "de modo coletivo e igualitário" aos familiares das vítimas da tragédia que matou mais de 230 pessoas na cidade gaúcha

A Justiça bloqueou os bens dos donos da boate Kiss, em Santa Maria, Rio Grande do Sul, onde 231 pessoas morreram e 129 ficaram feridas, após o incêndio na madrugada de domingo. O pedido, feito pela Defensoria Pública do Estado, foi deferido na noite desta segunda-feira, pelo juiz de plantão do fórum de Santa Maria, Afif Simões Neto.

Saiba mais sobre o incêndio em Santa Maria
Veja como aconteceu o incêndio na boate em Santa Maria
Saiba quem são as vítimas do incêndio em boate de Santa Maria

Yuri Weber / Jornal A Razão / Agência O Dia
Dono da boate Kiss se apresenta na delegacia após incêndio que matou mais de 230 pessoas

De acordo com o defensor Público-Geral do Estado, Nilton Arnecke Maria, o pedido foi feito para garantir a futura indenização "de modo coletivo e igualitário" aos familiares das vítimas da tragédia. A Instituição ressalta que a ação não discute a responsabilidade civil dos réus.

Mais: Ministério Público suspeita de adulteração de provas na boate Kiss

Os sócios da boate e dois integrantes da banda "Gurizada Fandangueira", que tocava na casa noturna na noite da tragédia, foram presos nesta segunda-feira. De acordo com a Polícia Civil, a prisão dos quatro é necessária para não interferir na investigação e outras pessoas ainda podem ser detidas.

Uma mensagem publicada no perfil da banda mostrou revolta com a prisão de dois integrantes do grupo, nesta segunda-feira. "Se não bastasse a perda lastimável deamigos, fãs e do Danilo DB Som, agora prenderam o Marcelo De Jesus Dos Santos e o Luciano Gf. Tudo devido ao 'jeitinho' e provisoriedade, já às autoridades (peixe grande) nada acontece", relata a publicação, que também lembra a morte de um dos integrantes da banda na tragédia.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas