Agentes da 1º DP aguardam apresentação da quarta pessoa a ser presa por envolvimento no incêndio da boate Kiss. Imagens do circuito interno de câmeras não foram encontradas

A Polícia Civil de Santa Maria já ouviu mais de 20 pessoas envolvidas no incêndio da Boate Kiss, que deixou mais de 230 mortos. A prisão temporária de quatro pessoas foi decretada, das quais três já estão presas. A quarta pessoa ainda não foi encontrada e pode se apresentar ainda hoje. A polícia continua as buscas. Os nomes dos presos não serão divulgados pela polícia. As prisões tem prazo de cinco dias, prorrogáveis por mais cinco.

Polícia prende dois músicos e sócio de boate incendiada em Santa Maria
Galeria: Saiba quem são as vítimas do incêndio em boate do Rio Grande do Sul
Banda que tocava durante tragédia de Santa Maria é famosa por pirotecnia

De acordo com o delegado da Polícia Civil, Sandro Meinerz, as imagens do circuito interno de câmeras, que poderiam auxiliar nas investigações, não foram encontradas. Nos depoimentos prestados, os proprietários disseram que o sistema já não estava funcionando antes do incêndio.

“A gente acha que efetivamente já estava estragado, até porque em um determinado momento ele poderia ser muito proveitoso aos próprios proprietários. As imagens internas poderiam eximir um pouco a responsabilidade dos proprietários e aí poderiam provar que talvez foi o pessoal da banda que deu início ao incêndio”, disse.

Luto: Famílias iniciam enterro de vítimas de incêndio em boate
Nos EUA: Incêndio fatal em casa noturna levou a prisões e indenizações
Brasil pode acionar bancos de pele de outros países para vítimas de Santa Maria

De acordo com o delegado, as imagens poderiam auxiliar as investigações, pois trariam informações do que ocorreu depois do início do incêndio e o comportamento das pessoas. “Para nós [os vídeos] seriam importantes. As pessoas correram para onde, tiveram obstáculo onde, qual foi a dificuldade a ser transposta naquele momento?” indagou.

Meinerz ressaltou ainda que é provável que a boate não estivesse superlotada no momento da tragédia. “As pessoas frequentadoras do local dizem que costumeiramente havia muito mais gente do que nesse dia [sábado]. Aparentemente não tinha superlotação no dia”.

*com Agência Brasil e AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.