Vento e chuva provocam transtornos e deixam dois desaparecidos no RS

Operário que trabalhava na construção de uma ponte e um pescador que estava em um barco virado pelo vento no rio Mampituba são procurados pelos bombeiros no Estado

Agência Estado |

Agência Estado

Uma tempestade com ventos de até cerca de 100 km/h e queda de granizo danificou o telhado de milhares de casas, prédios e pavilhões de diversos municípios do noroeste do Rio Grande do Sul entre a noite de terça-feira e a madrugada desta quarta-feira. O tempo melhorou durante o dia, permitindo que a maioria das famílias pudesse improvisar coberturas de lona para suas residências.

Leia também: 
Temporal danifica milhares de casas no noroeste do Rio Grande do Sul
Chuvas provocam alagamentos em cidades do Rio Grande do Sul

AE
Ribeirinhos do rio Caí são removidos para o ginásio municipal no Centro Integrado do bairro Navegantes, em São Sebastião do Caí

No final da tarde, bombeiros procuravam por dois desaparecidos. Um deles é um operário argentino que trabalhava na manutenção da ponte internacional São Borja-Santo Tomé e caiu no rio Uruguai. Outro é um pescador de Torres que estava em um barco virado pelo vento no rio Mampituba durante a madrugada.

Entre os municípios, a situação mais grave é de Porto Lucena, onde um cálculo inicial da prefeitura indica que 90% das 2,5 mil residências sofreram algum tipo de prejuízo, com parte delas totalmente destelhadas . Moradores da cidade, que tem 5,4 mil habitantes, disseram ter visto pedras do tamanho de ovos. Além de furar telhados, o granizo quebrou vidros de diversos automóveis. Algumas pessoas ficaram feridas sem gravidade.

A chuva quase ininterrupta que caiu entre domingo e terça-feira no Estado alagou áreas da região metropolitana de Porto Alegre. Na zona sul da capital gaúcha a inundação cobriu áreas de cultivo de hortaliças de chácaras e entrou em algumas casas. Em Cachoeirinha, o rio Gravataí subiu e ilhou 20 famílias. Em Esteio e São Leopoldo casas e ruas foram invadidas pela água.

Durante o dia, a chuva deu lugar ao vento, sobretudo na zona sul do Estado. Em Rio Grande, Pelotas e Santana do Livramento houve queda de árvores e postes. Segundo serviços de meteorologia, os temporais foram consequências do encontro de uma massa de ar quente com áreas de instabilidade e umidade sobre o Rio Grande do Sul. Já a ventania da tarde foi provocada pelo ciclone extratropical que se formou no Atlântico Sul e vai perder intensidade nesta quinta-feira.

Aprevisão do 8º Distrito de Meteorologia indica que os transtornos não devem se repetir no resto da semana. Nesta quinta-feira o tempo será nublado a parcialmente nublado, com vento fraco a moderado e possibilidade de chuva em áreas isoladas no leste do Estado. A temperatura vai oscilar entre 4 e 22 graus.

    Leia tudo sobre: rio grande do sulchuvatemporaldesaparecidos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG