Após intoxicação, Vigilância suspende venda de esfihas do Habib's no RS

Bactérias fecais foram encontradas nos recheios de queijo, carne e espinafre. Quatro filiais foram notificadas em Porto Alegre

iG São Paulo |

Quatro lojas da rede Habib's foram notificadas nesta quarta-feira (9) pela Coordenadoria Geral da Vigilância em Saúde (CGVS) de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. A decisão foi tomada após três clientes terem intoxicação alimentar. Após análise dos alimentos, realizada pelo Laboratório Central do Estado (Lancen/RS), foi constatada a presença de bactérias fecais nos recheios de carne, queijo e espinafre - utilizados nas esfihas da rede.

Leia também: Loja do McDonald's com baratas é interditada no Rio Grande do Sul

Todas as esfihas com os recheios contaminados tiveram venda suspensa e foram retiradas de circulação nas lojas da capital gaúcha. O resultado do laudo do Lacen/SP apontou a presença de três bactérias: bacillus cereus, escherichia coli e listeria monocytogenes. Essa última podendo causar aborto.

"Quando ingeridas, essas batérias podem causar intoxicação alimentar, vômitos e diarréia. Crianças e idosos com a imunidade baixa podem ainda apresentar quadro mais graves", explica a técnica Paula Marques da Divisão de Alimentos da CGVS.

Segundo Paula, foi dado um alerta em todo o Estado do Rio Grande do Sul para que cada centro de Vigilância em Saúde municipal realize testes nas filiais da rede. Habib's está presente nas cidades de Caxias do Sul, Pelotas e São Leopoldo, por exemplo.

"A interdição tem período indeterminado e o produto só voltará a ser vendido após descobrirmos a origem da contaminação. Acreditamos que ela tenha surgido devido falha no processo de higienização dos utensílios da cozinha ou dos próprios funcionários", explicou Paula.

Outro lado

Procurada pelo iG , a assessoria de imprensa do Habib's afirmou que, após tomar conhecimentos dos fatos, a empresa iniciou um processo de análise e apuração da ocorrência. Além disso, segundo a rede, "trata-se de um caso isolado em uma unidade da rede na capital gaúcha".

Leia a íntegra da nota da empresa:

"Com relação à suspeita da presença de bactéria nos recheios das esfihas, a empresa esclarece que:

Após tomar conhecimento dos fatos, iniciou o processo de análise e apuração da ocorrência;

Trata-se de um caso isolado, ocorrido em uma unidade da rede na capital gaúcha, cujas análises e contraprovas estão em andamento;

Em respeito ao seu consumidor, designou que suas equipes de operações e qualidade trabalhassem em conjunto com a Vigilância Sanitária para o esclarecimento dos fatos e conclusão das análises;

Até que os resultados sejam concluídos, o abastecimento dos produtos em questão, nas unidades de Porto Alegre, está sendo realizado pela cozinha central de Curitiba;

A direção da Rede esclarece que todos os cuidados com relação à produção e ao manuseio dos produtos são acompanhados por uma equipe, que envolve profissionais técnicos e ligados ao segmento da saúde. O conceito de produção verticalizado da empresa propicia a padronização de produtos e processos, garantindo qualidade e escala necessárias".

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG