Tamanho do texto

Pelo menos 53 motoristas foram presos no Rio Grande do Sul no segundo fim de semana de tolerância zero do álcool ao volante. Tanto o chefe do núcleo de comunicação social da Polícia Federal, Alessandro Castro, quanto o comandante-geral da Brigada Militar (a polícia militar gaúcha), coronel Paulo Mendes, acreditam que os condutores de veículos ainda não estão levando a sério a nova lei.

"Talvez eles tenham achado que não era para valer", comentou Castro. "Espero que não persistam no erro".

A Polícia Rodoviária Federal reforçou a fiscalização no Estado convocando um efetivo 10% maior do que o de outros fins de semana. Com isso, cerca de 170 agentes trabalharam nas estradas federais gaúchas. Em todo o Estado, 31 motoristas abordados apresentaram algum índice de embriaguez. Os 22 que estavam acima do limite foram presos. A região que teve o maior número de ocorrências foi a metropolitana de Porto Alegre, com nove prisões. As barreiras da Brigada Militar prenderam outras 31 pessoas em estradas estaduais e municipais.

Em Santa Maria, o motociclista Tiago do Nascimento não obedeceu o sinal de parada obrigatória dado por policiais rodoviários em três barreiras. Uma equipe de policiais passou a perseguir o condutor, até conseguir detê-lo no centro da cidade. Feitos os testes, comprovou-se que Nascimento tinha 0,77 miligrama de álcool por litro de sangue e não tinha habilitação para pilotar uma motocicleta, que foi apreendida. O motociclista foi presos e terá de pagar R$ 2.820,00 em multas. Além disso, terá 55 pontos anotados em sua carteira de habilitação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.