Rossi se diz confiante na eleição do PMDB-SP

O ex-prefeito de Osasco e deputado federal Francisco Rossi se diz otimista com a convenção estadual do PMDB, que acontece hoje na Assembleia Legislativa de São Paulo. Se o pessoal que diz que vai votar em mim realmente comparecer e votar, creio que pode acontecer uma surpresa hoje, afirmou.

Agência Estado |

Segundo Rossi, ele conversou pessoalmente ou por telefone com 300 delegados do partido. Na convenção de hoje, o diretório paulista da legenda escolherá seus dirigentes para os próximos dois anos. Rossi é um dissidente da chapa única do ex-governador Orestes Quércia.

Por causa do mau tempo, a expectativa é que votem, no máximo, 500 delegados, de um universo de 740 delegados do PMDB. "O pessoal não está motivado. O partido está muito ruim, encolheu e infelizmente se tornou nanico em São Paulo. Sem dúvida, o pleito da chapa única dará força à legenda em São Paulo", comentou.

Rossi observou também que não é exatamente contra a coligação do PMDB com o PSDB, mas sim contrário à "arbitrariedade" do atual dirigente do partido em São Paulo, Orestes Quércia, que não levou o tema para ser discutido em convenção. "Foi uma decisão tomada em petit comité."

Para Rossi, a escolha de um candidato próprio é fundamental. Por ter sido candidato duas vezes, ele colocou seu nome à disposição do partido para concorrer ao governo paulista. "Quando fui candidato do PDT, dirigia um fusquinha. Agora, o PMDB é uma Ferrari. Por que dar a Ferrari para o PSDB colocar o 45, se temos como colocar o 15, nosso número", questionou.

Prevista para começar às 9 horas, a votação para a escolha do dirigente do PMDB em São Paulo teve início com uma hora de atraso. Espera-se que as urnas fechem às 15 horas e o resultado saia uma hora depois.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG