Principal palestrante do Abril Verde, o ex-ministro da Agricultura Roberto Rodrigues disse hoje, em Araçatuba (SP), que o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e as ocupações feitas por ele são legítimos. Questionado sobre o Abril Vermelho, onda de invasões de fazendas organizada pelo MST com início previsto para este domingo, Rodrigues disse se tratar de uma onda concêntrica, que defende uma tese legítima.

Sobre o MST, o ministro repetiu: "É um movimento legítimo, que é positivo, mas se torna negativo quando há violência. As ocupações são legítimas, mas deixam de ser quando ocorre violência", declarou.

Durante o encontro, que reuniu cerca de 800 produtores rurais de São Paulo e outros Estados, os líderes tentaram evitar as comparações com o Abril Vermelho, mas não conseguiram. Colocaram-se como responsáveis pelo desenvolvimento no campo, para falar em atraso quando o assunto era invasão, MST e governo.

Neste aspecto, embora fosse voz destoante sobre a legitimidade das ocupações, Rodrigues ajudou: "Vim aqui para falar do desenvolvimento, da alta tecnologia e dos altos índices de produção do campo, mas principalmente da falta de estratégia e de ações integradas do governo para explorar tudo isso", declarou. Já o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp), Fábio Meirelles, foi mais incisivo: "As invasões são ilegais e o MST é um movimento ilegítimo e político, mas atrasado, que só ganha força porque tem apoio do governo", disse.

O presidente do Sindicato Rural da Alta Noroeste (Siran), Antonio Carlos Ferreira, que organizou o "Abril Verde", disse que, ao saber da realização do evento, o líder do MST José Rainha o procurou para uma reunião. No encontro, segundo Ferreira, Rainha garantiu que o MST não fará ocupações em Araçatuba durante o Abril Vermelho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.