evitar viajar para o Chile, Argentina e países da América do Sul por causa do risco de contágio pelo vírus da gripe suína (http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/04/30/oms+decide+mudar+nome+da+gripe+suina+5867916.htmlrebatizada de A H1N1 pela Organização Mundial de Saúde), a doença pode entrar no País por terra sem conhecimento das autoridades." / evitar viajar para o Chile, Argentina e países da América do Sul por causa do risco de contágio pelo vírus da gripe suína (http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/04/30/oms+decide+mudar+nome+da+gripe+suina+5867916.htmlrebatizada de A H1N1 pela Organização Mundial de Saúde), a doença pode entrar no País por terra sem conhecimento das autoridades." /

Rodoviárias não têm controle de quem chega

SÃO PAULO - Enquanto o Ministério da Saúde recomenda http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2009/06/23/gripe+suina+temporao+tambem+recomenda+adiar+viagens+6905928.html target=_topevitar viajar para o Chile, Argentina e países da América do Sul por causa do risco de contágio pelo vírus da gripe suína (http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/04/30/oms+decide+mudar+nome+da+gripe+suina+5867916.htmlrebatizada de A H1N1 pela Organização Mundial de Saúde), a doença pode entrar no País por terra sem conhecimento das autoridades.

Redação com Agência Estado |

No Terminal Rodoviário do Tietê, na zona norte de São Paulo, o maior da América Latina, com circulação de 90 mil pessoas por dia, passageiros vindos do Chile e da Argentina não passam pelo controle do órgão de saúde nem da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) quando desembarcam na capital paulista.

AE
Passageiros na Rodoviária do Tietê, em São Paulo

Segundo a Socicam, que administra os três terminais rodoviários da capital paulista, passageiros vindos da Argentina e do Chile desembarcam em São Paulo e seguem para seus destinos sem preencher formulários ou deixar seus respectivos contatos com as autoridades.

Só em maio deste ano chegaram ao Tietê 51 ônibus vindos da Argentina e outros 12 do Chile. Na manhã desta terça-feira, às 4h30, chegou um ônibus que saiu de Buenos Aires. A empresa responsável pela linha não informou o número de passageiros.

A Secretaria de Estado da Saúde afirmou que estuda realizar ações nos terminais de via terrestre. Já a Anvisa disse que o controle por terra será feito nas fronteiras por meio do preenchimento da Declaração de Saúde do Viajante (DSV), a mesma que aqueles que viajam de avião preenchem. Mas passageiros que chegaram nesta terça-feira ao Aeroporto Internacional de Guarulhos da Argentina e do Chile não receberam o papel.

O Ministério da Saúde informou nesta terça-feira que 94 novos casos de infecção por gripe suína foram confirmados no País. Com os novos casos, o total acumulado de confirmados no Brasil chega a 334.

A doença no mundo

De acordo com informações dos governos e da Organização Mundial de Saúde (OMS), até o momento mais de 100 países têm casos confirmados e divulgados da doença.

Do total de países, 35 têm casos autóctones: na Europa (Áustria, Bélgica, Dinamarca, Estônia, França, Alemanha, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Espanha, Suécia, Suíça e Reino Unido); nas Américas (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Estados Unidos, Guatemala, México, Panamá, Peru e Uruguai); na Ásia (Japão); África (Egito) e na Oceania (Austrália).

Segundo a OMS, Estados Unidos, México, Canadá, Austrália, Chile e Argentina são considerados os países com transmissão sustentada.

(Com informações do jornal "O Estado de S. Paulo")

Veja também:

Leia mais sobre: gripe suína

    Leia tudo sobre: doenças de invernogripe suínarodoviária

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG