Rodovia Rio-Santos é parcialmente liberada na região de Angra dos Reis

SÃO PAULO - O tráfego na rodovia Rio-Santos foi parcialmente liberado na altura do quilômetro 477, sentido Santos, por volta das 10h30 deste domingo, segundo a Polícia Rodoviária Estadual.

iG São Paulo |

Uma rápida visita do diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Luiz Antonio Pagot, em companhia do vice-governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, e de autoridades municipais de Angra dos Reis ao quilômetro 477 da Rodovia Rio-Santos foi o suficiente para se mudar a avaliação das condições de segurança do local e permitir a reabertura da via.

Metade da via foi destruída por um deslizamento de terra provocado pelas chuvas, que já provocaram 44 mortes na região, além das 22 que morreram na Baixada Fluminense desde a virada do ano, totalizando 66 mortos no Estado do Rio no período.

Se na noite de sábado o supervisor do Dnit na cidade, Wanderson Lopes da Silva, havia sido taxativo sobre a impossibilidade de liberação da rodovia por um período mínimo de dois meses, na manhã de ontem, Pagot e as demais autoridades que o acompanhavam consideraram possível o tráfego de veículos - inclusive ônibus e caminhões. O fluxo foi liberado em esquema de revezamento, ora liberado para o sentido Rio, ora para o sentido Santos. O diretor-geral do Dnit destacou, no entanto, que a rodovia será novamente interditada no quilômetro 477 caso volte a chover.

A mudança de avaliação surpreendeu a técnicos e bombeiros que acompanharam a operação de interdição desde a noite de sábado. Pagot garantiu que as obras emergenciais na Rio-Santos começariam ainda ontem. "Esse impedimento do tráfego que foi determinado ontem foi exatamente porque esse setor superior estava descendo e se acomodando. Então era um risco iminente dessa massa toda descer e tomar a pista e, provavelmente, colher os veículos que estavam transitando", afirmou Pagot. "Agora, estamos há 24 horas sem qualquer movimento do talvegue (fundo de um vale). Isso significa que ele deu uma acomodada", justificou o diretor-geral do Dnit.

Uma opção para pegar a Dutra e deixar Angra é a rodovia RJ 155 (Lídice-Rio Claro). A recomendação é que os motoristas de São Paulo evitem viagens por terra ao Rio de Janeiro.

Leia mais sobre: estradas

    Leia tudo sobre: chuvasestradastransito

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG