Man of la Mancha - Brasil - iG" /

Robô rege Orquestra Sinfônica de Detroit na execução de Man of la Mancha

Washington - Os avanços tecnológicos permitiram um robô desenvolvido pela Honda se colocar à frente da Orquestra Sinfônica de Detroit para reger uma peça de Man of La Mancha, que conquistou o público, segundo meios de imprensa locais.

EFE |

A atuação do andróide aconteceu na noite de terça-feira e, segundo o "Detroit News", o público estava ansioso para a entrada no palco de Asimo, um robô de um metro e meio que no passado também foi capaz de emular seres-humanos em outras tarefas, mas nunca à frente de uma orquestra.

"Olá a todo mundo", disse Asimo à audiência com uma voz pueril, e depois cumprimentou a orquestra.

Como afirmou a porta-voz da Honda, Alicia Jones, o desafio não era apenas dirigir uma orquestra, mas uma obra ao vivo, algo que um robô nunca havia feito antes.

"É emocionante trabalhar com a Orquestra Sinfônica de Detroit diante deste magnífico auditório", disse Asimo, que conseguiu ganhar o público.

Asimo, que pertence à geração mais avançada de andróides, tem maior capacidade de movimento que outros robôs de sua geração, pode andar, subir escadas e movimentar suas articulações.

No entanto, possui algumas limitações. O diretor musical da Sinfônica de Detroit, Charles Burke, explicou, por exemplo, que os engenheiros programaram o robô para que seguisse os mesmos gestos do diretor, mas ele não é capaz de responder os músicos.

Assim, durante os ensaios, a orquestra se perdeu quando Asimo começou a marcar o tempo mais lento, algo que um diretor humano poderia ter sentido e resolvido, disse Larry Hutchinson.

"Não é um mecanismo comunicativo. Está simplesmente programado para fazer os gestos", destacou o diretor da orquestra Leornard Slatkin, que, por enquanto, tem seu posto garantido.

"Se a orquestra decide ir mais rápido, não há nada que o robô possa fazer. Com sorte, poderei continuar regendo", brincou.

Muitos dos músicos reconheceram que o robô era mais realista do que pensavam, embora seus movimentos sejam ainda bastante rígidos.

A Honda tem desenvolvido esse tipo de robôs desde 1986. A última versão de Asimo estreou no ano passado.

A companhia japonesa também está desenvolvendo robôs para fazer companhia a idosos, ou para outras tarefas úteis como ajudar às crianças a atravessar a rua.

    Leia tudo sobre: música clássica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG