Robert Plant e Alison Krauss surpreendem e levam 5 Grammy

Antonio Martín Guirado. Los Angeles (EUA), 8 fev (EFE).- A dupla formada por Robert Plant, ex-membro do Led Zeppelin, e a cantora americana Alison Krauss se tornou hoje a grande surpresa da 51ª edição do Grammy, ao levar cinco prêmios.

EFE |

O álbum que fizeram juntos, "Raising Sand", levou os prêmios de disco do ano, disco de folk contemporâneo, gravação do ano - "Please Read the Letter" -, melhor colaboração country com vocais - "Killing the Blues", e melhor colaboração pop com vocais - "Rich Woman".

O rapper americano Lil Wayne, que antes era tido como favorito por suas oito indicações, levou quatro prêmios: melhor álbum de rap, por "The Carter III"; melhor performance individual de rap, pelo tema "La Milli"; melhor canção rap, por "Lollipop"; e melhor colaboração de rap, por "Swagga Like Us".

Como destaque também na grande festa da música nos Estados Unidos, a banda britânica Coldplay levou três prêmios: melhor canção do ano, por "Viva la Vida"; melhor álbum de rock, por "Viva la Vida or Death and All His Friends"; e melhor performance pop de grupo ou dupla, também pela música "Viva la Vida".

Todos esses prêmios foram entregues em uma festa longa demais - foram três horas e meia para dar dez estatuetas -, cuja primeira atuação foi dos irlandeses U2, que embora não concorressem a nada, apresentaram ao vivo "Get On Your Boots", o primeiro single de seu novo disco, "No Line On the Horizon".

Bono, líder da banda, deu espaço a Whitney Houston, que apresentou o Grammy ao melhor álbum de R&B, destinado este ano a Jennifer Hudson.

Hudson dedicou o Grammy a sua família. A mãe, o irmão e o sobrinho da cantora foram assassinados em outubro de 2008.

A festa foi, no entanto, um pouco atrapalhada pela inesperada ausência de Rihanna, substituída no palco pela colaboração entre Al Green, Justin Timberlake e Boyz II Men, e de seu namorado, Chris Brown.

Segundo o jornal "Los Angeles Times", a ausência dos dois se deveu a um episódio de violência doméstica, o que não confirmado pela organização da festa.

Sem tempo para especulações, os componentes do Coldplay, vestidos de forma que lembrava os Beatles na capa do disco "Sgt. Pepper's Lonely Heart's Club Band", recolhiam o prêmio de melhor canção do ano por "Viva la Vida".

A banda britânica, ao receber o Grammy, se desculpou por "copiar" a vestimenta da mítica banda de Liverpool.

A premiação seguiu com o toque adolescente de Taylor Swift e Miley Cyrus, que cantaram "Fifteen", e a aparição do Jonas Brothers, em uma curiosa colaboração com Stevie Wonde nas canções "Burnin Up" e "Superstition" O Grammy contou com um certo tom de rebeldia, em momentos como o grito do apresentador de televisão Craig Ferguson em exaltação a lésbicas, antes de apresentar Katy Perry e seu sucesso "I Kissed a Girl", ou a atuação conjunta do que pode ser chamado de "Rat Pack negro".

A colaboração, formada pela grávida M.I.A. - cujo parto estava previsto para hoje -, T.I., Jay-Z, Lil Wayne e Kanye West, em "Swagga Like Us", também marcou, assim como a aparição de Smokey Robinson.

Um dos momentos mais vibrantes da festa foi protagonizado por Sir Paul McCartney, que deu o toque Beatle ao espetáculo com "I Saw Her Standing There", música gravada pela banda de Liverpool e incluído no disco "Please, Please Me", que contou hoje com a ajuda de Dave Grohl, relembrando sua passagem no Nirvana na bateria.

Depois, a atriz Gwyneth Paltrow, sob atento do marido Chris Martin, apresentou os britânicos do Radiohead - em sua primeira aparição nos Grammy-, que lembraram a música "15 Step" com ajuda da banda da Universidade da Carolina do Sul e com a intensidade característica do vocalista Thom Yorke.

A festa terminou com a reaparição no palco de Stevie Wonder, que decidiu encerrar o evento com uma mensagem de amor: "All About the Love Again". EFE mg/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG