'Vi o motorneiro agonizando', conta morador

Após acidente, Nelson Silva ficou preso por cerca de 20 minutos, até a chegada dos bombeiros. Ele estava caído sobre mulher morta

Raphael Gomide, iG Rio de Janeiro |

O auxiliar administrativo Henrique Santos, 34 anos, viu o motorneiro Nelson Correia da Silva agonizar, imprensado contra o poste pelo bonde tombado. Silva dirigia o bonde que tombou neste sábado em Santa Teresa, no Rio.

“Vi o motorneiro agonizando, imprensado no poste pelo bonde, preso às ferragens. Tinha muito sangue, ele sangrava muito pela boca, mexia um pouco os dedos, como se estivesse pedindo socorro. Tentamos, mas estava impossível de retirá-lo dali. Ele estava caído sobre uma mulher, com certeza já morta.”

Henrique estava em casa quando ouviu gritos seguidos de um enorme estrondo. “Foi quando o bonde tombou. Saímos correndo de casa e vimos o bonde caído. Fizemos o que era possível, mas havia muitas ferragens”, disse.

Só quando os bombeiros chegaram ao local, cerca de 15 minutos depois, é que Nelson foi retirado das ferragens. Pouco tempo depois, porém, ele morreu. “Ele morreu com muita dignidade, porque poderia ter saltado do bonde, percebendo que iria tombar depois que saiu dos trilhos. Mas ele ficou e tentou salvar as pessoas, procurando evitar o acidente”, disse Kelly Ribeiro, mulher de Henrique.

    Leia tudo sobre: bondeacidenterio de janeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG