Verônica Costa é denunciada por tortura contra ex-marido

Funkeira foi acusada de atirar jatos de inseticida no rosto do ex-companheiro, além de amordaçá-lo

iG Rio de Janeiro |

O Globo
Funkeira Verônica Costa foi denunciada por tortura mas não está presa
O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro denunciou nesta quinta-feira (1º) a ex-vereadora e empresária de funk Verônica Costa pelo crime de tortura contra seu ex-marido Márcio Costa. Foram denunciados pelo mesmo crime Bruno Chaves Ribeiro, Tatiane Chaves Ribeiro, Bruno Marcelo Bahia Marques e Sebastião de Oliveira Evangelista – todos parentes de Verônica. De acordo com a denúncia, as “sessões de tortura” aconteceram na noite de 21 de fevereiro deste ano, na casa do casal, em Vargem Grande, na zona oeste da cidade.

Leia também : Verônica Costa é indiciada por tortura

A Promotoria também requereu judicialmente a proibição do contato dos agressores com a vítima e testemunhas/informantes indiciadas, sob pena de decretação de prisão preventiva, bem como o comparecimento mensal dos denunciados na sede do juízo para informar e justificar suas atividades.

Segundo a denúncia, subscrita pelos promotores de Justiça Márcia Velasco e Alexandre Themístocles, após ser atraído para a suíte do casal, Márcio Costa foi amordaçado, teve as mãos amarradas, os olhos vendados e foi mantido em cárcere privado pelos denunciados.

Leia também : Verônica Costa: 'Tortura foi o que eu vivi durante 10 anos sileciosamente'

Além disso, a vítima teve a cabeça “violentamente” afundada nas águas da banheira e do vaso sanitário. O texto da denúncia diz que “Verônica desferindo socos e tapas no rosto de Márcio Costa, exigiu que ele confessasse suas condutas de infidelidade conjugal e de desvio de dinheiro arrecadado durante campanha política eleitoral”.

Na denúncia, consta ainda que “Sempre auxiliada pelos demais denunciados, Verônica desferiu vários jatos de inseticida em seu rosto (de Márcio Costa) e jogou gasolina em seu corpo. As graves ameaças consistiam em promessas de choques elétricos e de ateamento de fogo na vítima, que era aterrorizada com fósforos acessos”.

Ainda de acordo com a denúncia, o intenso sofrimento físico não teve consequências mais graves porque, durante um intervalo da tortura, aproveitando-se da distração do denunciado Sebastião, a vítima conseguiu pular do segundo andar e pediu ajuda na casa do vizinho.

Laudos de exames de corpo de delito, procedimentos feitos por peritos e boletins de atendimentos médicos revelaram que a violência e a exposição da vítima à gasolina causaram feridas em todo o corpo, além de queimaduras de primeiro e segundo graus na face, região cervical, genitália, região lingual e glúteos. Segundo a denúncia, a vítima recebeu alta médica dez dias após o crime.

A versão apresentada pelos denunciados foi descartada após análise de dados obtidos pela quebra de sigilo telefônico.

Há duas semanas, a funkeira havia sido denunciada pelo crime e enviou um comunicado à imprensa em tom de desabafo. Confira a nota na íntegra:

"Tortura foi o que vivi durante 10 anos silenciosamente, agüentando como muitas mulheres por amor e falta de visão, viver ao lado de alguém tão sem escrúpulos tendo somente por testemunhas minha família, amigos e Deus. Mulheres sofrem silenciosamente, não torturam homens, mesmo com todo mal e abuso que esses possam fazer. Agora entendo e solidarizo ainda mais com o sofrimentos de todas as companheiras que passaram pelo menos um pouco do sofrimento que estou passando.Os que me conhecem ou pelo menos acompanham minha carreira sabem que sempre fui uma mulher feita de amor, sempre trabalhei resgatando vidas, encaminhando os jovens para uma vida de justiça social e respeito ao próximo.Agradeço o apoio de todos e conto com suas orações".

    Leia tudo sobre: verônica costatortura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG