Um ano após três mortes, Borel convive com medo e precariedade

Família com crianças de 2 e 4 anos aluga casa interditada. Moradores não dormem desde que alarme começou a soar na comunidade

Raphael Gomide, iG Rio de Janeiro |

Fabrizia Granatieri
Joyce mora de aluguel em casa interditada pela Defesa Civil com os dois filhos, de 2 e 4 anos

 Um ano depois do deslizamento que deixou três mortos, o Morro do Borel continua a conviver com o medo e a precariedade nas noites de chuvas fortes. Na Vila da Preguiça, área onde o escorregamento que matou a mãe e duas filhas, os vizinhos reclamam que as obras de contenção feitas pela Prefeitura do Rio estão inacabadas e não resolvem os riscos por completo. Nesta segunda-feira, houve deslizamentos, mas sem vítimas. A comunidade quer que a área do muro de contenção seja ampliada e os caminhos pavimentados.

Fabrizia Granatieri
Sem uma perna, Rosa, que já perdeu uma casa, teme situação de emergência no Borel
Vendo a lama descer como um rio pelo morro, muitos moradores dessa área do Borel disseram ao iG não ter conseguido dormir por receio de que casas soterrassem outras. Uma medida simples, porém, ajuda os moradores. As sirenes, instaladas pela Prefeitura do Rio em dois pontos, serviram como alerta no morro e foram ouvidas durante a noite toda. “Faz muito barulho, parece uma vaca”, disse Cláudia Rodrigues, da associação de moradores. Por conta do alerta, muita gente saiu de suas casas e dormiu na residência de parentes e amigos.

Aluguel de R$ 200 mensais por casa interditada

Mesmo temendo uma tragédia, Joyce Reis Campos aluga por R$ 200, desde julho, uma casa interditada pela Defesa Civil. Ela mora com o marido e dois filhos – Vitor, 4 anos, e Miguel, 2 - a cerca de 50 metros do local onde morreram as três pessoas há um ano, área hoje coberta pela mata. “Tenho muito medo, mas por enquanto não tenho outro lugar para ir. Esta casa era dos meus avós, e estou alugando do atual dono”, disse ela, ao lado das crianças.

O Centro de Operações da Prefeitura informou esta noite que "a probabilidade de escorregamento é muito alta nas encostas da região da Grande Tijuca", onde o Borel está. "A orientação da Defesa Civil é para que as pessoas que moram em áreas de risco se dirijam a pontos de apoio em locais seguros e permaneçam lá até a chuva parar. Nas comunidades onde há sirenes, ao ouvir o sinal, os moradores devem obedecer a orientação dos agentes", explica nota do centro.

Fabrizia Granatieri
Casa em área de risco no Morro do Borel
Para nem todos sair de casa é uma tarefa simples. Com uma das pernas amputada após um atropelamento há 11 anos, Rosa Maria de Lima Guedes, 41, precisa descer um caminho de lama para sair de casa, de muletas, na localidade conhecida como Vila da Preguiça. Enquanto conversava com o iG , Rosa afundou a muleta direita na lama e quase caiu.

“É complicado mesmo caminhar neste pedaço, ainda mais em tempo de chuva, escorrega muito com a muleta. Na hora da sirene, já fico preocupada. Minha casa já caiu ano passado e tive de me mudar”, contou Rosa.

Fabrizia Granatieri
Kezia de Souza caiu de uma laje durante a noite ao tentar verificar a força da chuva
No escuro, Kezia Cristina de Souza, 29, caiu de uma laje em um buraco e machucou a perna esquerda e a barriga. “Fui ver de onde descia a lama e caí. Não consegui dormir, depois que a sirene tocou”, contou. Outros pequenos acidentes são frequentes naquela área, onde as escadas e os caminhos são improvisados.

Félix Salustiano Filho perdeu a casa no ano passado, mas diz não receber aluguel social. A prefeitura passou a dar R$ 400 a quem ficou desabrigado pelas chuvas do ano passado. “Perdi tudo e não recebi nenhum vintém. Fui dez vezes à subprefeitura e nada”, disse.

“Nunca tinha ficado tão desesperada, em 20 anos de Rio de Janeiro”, disse Maria de Fátima Oliveira, da Paraíba, que fez questão de levar a equipe do iG para ver a obra que ela considera “malfeita”, em um local conhecido como “Feijão de Baixo”, perto da antiga lixeira.

    Leia tudo sobre: chuvario de janeiromorro do borel

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG