Publicação diz que nova fase visa diminuir custos econômicos e ambientais e que contará com 150 colaboradores

Última edição do Jornal do Brasil traz na capa chamada destacando nova fase digital
Reprodução
Última edição do Jornal do Brasil traz na capa chamada destacando nova fase digital
A última edição impressa do Jornal do Brasil, publicada nesta terça-feira (31), apresenta ao leitor uma idéia de como será o futuro de um dos maiores símbolos da imprensa brasileira. O jornal traz na capa uma chamada destacando a nova fase com o título “JB Digital vai estrear com artigo de Lula”. Se apresentando como “o primeiro jornal 100% digital do país”, a publicação informa na página três, da editoria País, que contará com uma equipe de 150 colaboradores.

Na reportagem, o JB explica o motivo pelo qual optou pelo fim da versão em papel. “Nesta era de leitores digitais e de internet, acrescida pela problemática ecológica, a ampla consulta que realizamos sobre o futuro confirmou que a maioria quer modernidade”. O Jornal informa ainda que os custos econômicos e ambientais do papel são insustentáveis e desnecessários. Como exemplo, ele cita que em um ano da versão digital será preservada uma área florestal correspondente a mais de 1.200 Maracanãs.

A publicação lembra que, em 1995, foi a primeira a ter uma versão na internet e garante que sua linha editorial não sofrerá mudanças. “Apesar do que vêm propagando alguns poucos mal informados, o Jornal do Brasil está caminhando para uma nova e melhor fase”.

Ainda na página três é possível ler comentários positivos do Ministro da Comunicação Social, Franklin Martins, e as três principais características da versão digital: tempo real, interatividade e blogosfera, com difusão vasta de blogs e artigos além do primeiro jornal produzido 100% por leitores, o JBWiki. Na quarta-feira (1) a edição on-line trará um artigo do presidente Lula.

Nas páginas oito e nove, o JB traz um grande anúncio da versão digital (jb.com.br), elevando as qualidades da edição 100% on-line. O restante da publicação traz colunas, editorias e reportagens sem maiores alusões ao término do impresso.

Crise financeira

O Jornal do Brasil enfrenta desde a década de 1990 uma realidade de dívidas, perda de vendas e demissões em série de jornalistas. O iG antecipou em 30 de junho a informação sobre a suspensão da versão impressa.

O JB foi descredenciado do Instituto Verificador de Circulação (IVC), órgão responsável por auditar o número de exemplares vendidos das publicações brasileiras. Atualmente, a estimativa é de que o JB venda 17 mil exemplares durante a semana, em um momento que os jornais brasileiros crescem 2% em vendas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.