Tribunal do Júri recebe denúncia contra Rafael Bussamra

Jovem será julgado pelo atropelamento e morte do filho da atriz Cissa Guimarães, no dia 20 de julho

AE |

selo

A Justiça aceitou a denúncia do Ministério Público (MP) de homicídio doloso contra o estudante Rafael Bussamra, que confessou ter atropelado e matado o filho da atriz Cissa Guimarães, Rafael Mascarenhas, na madrugada de 20 de julho, no Rio de Janeiro. A denúncia foi distribuída para o 2º Tribunal do Júri da Capital. A ação penal será conduzida pelo juiz Paulo de Oliveira Lanzellotti Baldez.

Na última sexta-feira, dia 10, o processo foi remetido à 16ª Vara Criminal da capital, onde tramitou o inquérito policial. Na ocasião, o juiz em exercício Guilherme Schilling Pollo Duarte declinou da competência para uma das Varas Criminais com competência para o júri popular. Ele considerou que a denúncia imputa ao universitário, dentre outros crimes, o delito previsto no artigo 121, caput, do Código Penal, crime doloso contra a vida cuja competência é do Tribunal do Júri.

Mascarenhas, de 18 anos, morreu no dia 20 de julho, no Túnel Acústico, na Gávea, que estava interditado para carros. Ele andava de skate quando foi atropelado. Mascarenhas chegou a ser levado ao hospital municipal Miguel Couto, mas não resistiu aos ferimentos. Testemunhas afirmaram que os veículos trafegavam em alta velocidade.

Além de Rafael, que também é acusado de corrupção ativa, duas vezes, e de crimes de trânsito, são réus no mesmo processo, seu pai, Roberto Martins Bussamra; seu irmão, Guilherme de Souza Bussamra; e Gabriel Henrique Ribeiro. O pai de Rafael é acusado de corrupção ativa, duas vezes, e de crimes de trânsito, por ter inovado artificiosamente, em caso de acidente automobilístico com vítima, a fim de induzir a erro o agente policial. Guilherme responderá apenas por este último crime e Gabriel, por ter participado de disputa ou competição automobilística.

    Leia tudo sobre: NACIONAL-GERAL

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG