Três ministros devem acompanhar enterro de vítimas de atirador

A ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, não confirma presença da presidenta Dilma Rousseff

Flávia Salme, iG Rio de Janeiro |

A ministra dos Direitos Humanos Maria do Rosário chegou no início da noite ao hospital Albert Schweitzer, em Realengo, onde visitou três crianças baleadas pelo assassino Wellington Menezes de Oliveira.

Segundo Maria do Rosário, sua presença no Estado é o símbolo da solidariedade de sentimento pedido pela presidenta Dilma Rousseff.

“As crianças relataram os fatos. Acredito que estejam em situação de choque. É muito doloroso perceber o que elas passaram e a perda de seus colegas”.

De acordo com a Maria do Rosário, o ministro da educação, Fernando Haddad, e o da Justiça, José Eduardo Cardozo, estão vindo ao Rio a pedido da presidenta. No fim da noite, foi confirmado que a presidenta não irá acompanhar o velório e o enterro das vítimas.

Após a visita Maria do Rosário foi perguntada sobre que políticas públicas o governo poderia desenvolver para evitar tragédias como a da Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo.

“Este é um momento exclusivamente de solidariedade. Isso não significa que a gente não pense fortemente a responsabilidade que tem, inclusive para que as escolas sejam lugares plenamente seguros. É uma situação de alerta”, finalizou.

A ministra esteve na unidade de saúde acompanhada do secretário estadual de Assistência Social Rodrigo Neves e lembrou que a presidenta Dilma decretou luto oficial de três dias no País e que o governador Sérgio Cabral estabeleceu um luto de sete dias no Estado do Rio de Janeiro.

    Leia tudo sobre: atiradorescolaRealengo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG