Traficantes do Morro dos Macacos fugiram para a Rocinha, diz secretário

Bope começou a ocupar comunidade nesta quinta-feira para implantar UPP

Anderson Dezan, iG Rio de Janeiro |

O secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame, disse nesta quinta-feira (14) que traficantes do Morro dos Macacos, na zona norte do Rio, se refugiaram nas favelas da Rocinha, na zona sul da cidade, e de São Carlos, no centro. O Morro dos Macacos foi ocupado no início da manhã de hoje por 180 homens do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) para a implantação de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) - a 13ª do Estado. 

"O que acompanhamos pelo serviço de inteligência é que essas pessoas saem para seus núcleos. Lá, elas são recepcionadas", informou Beltrame. As favelas da Rocinha e de São Carlos seriam os chamados "núcleos" da facção criminosa que dominava o Morro dos Macacos.

A operação desta quinta-feira ocorreu sem confrontos e tem como balanço, até o momento, a apreensão de um carro roubado e a prisão de um homem conhecido como "Pulga", que seria o número dois na escala do tráfico de drogas na comunidade. Além do Bope, a ação contou com o apoio do 3º BPM (Méier), 6º BPM (Tijuca) e Batalhão de Choque.

Segundo estimativas da Secretaria Estadual de Segurança, a UPP do Morro dos Macacos vai beneficiar 12 mil moradores diretamente e 27 mil no entorno. A unidade também irá abranger as comunidades conhecidas como Pau da Bandeira e Parque Vila Isabel.

Agência O Globo
Policiais do Bope ocupam alto do Morro dos Macacos
Próximo passo

De acordo com Beltrame, as próximas comunidades que receberão UPPs serão os morros São João, da Matriz e do Quieto. Essas favelas são vizinhas ao Morro dos Macacos. Segundo ele, o momento exato no qual deverá acontecer a ocupação dessas comunidades será informado pelo Bope e Batalhão de Choque.

"Só vamos nos movimentar dali quando a área estiver tranquila para dar o segundo passo", disse. "Assim, completaremos o grande Maciço da Tijuca. Esperamos que bairros como Grajaú, Vila Isabel, Maracanã e Engenho Novo tenham seus índices de criminalidade reduzidos como aconteceu em outras áreas", avaliou o secretário. A 14ª UPP deve beneficiar oito mil moradores da região e outros 17 mil no entorno.

Em outubro do ano passado, uma tentativa de invasão de criminosos do Morro São João aos Macacos culminou na derrubada de um helicóptero da Polícia Militar . Na ocasião, dois dos quatro agentes que estavam na aeronave morreram.

"Há aproximadamente um ano dissemos que não íamos agir com cabeça quente, de maneira episódica, e que não iríamos nos deixar levar pelo emocional porque tínhamos um projeto definitivo para o Rio de Janeiro. Hoje, a Polícia Militar está lá e não vai mais sair", afirmou Beltrame.

Novas UPPs

Em seu discurso de vitória , no último dia 3 de outubro, o governador reeleito Sérgio Cabral afirmou que, além do Morro dos Macacos, as favelas da Mangueira e de São Carlos serão pacificadas até o final deste ano. Questionado sobre a declaração, Beltrame esquivou-se. "Temos essas operações planejadas, mas quando isso vai ser feito eu não vou revelar".

Atualmente, há 12 UPPs instaladas na cidade do Rio. Na zona sul, funcionam unidades nos morros Dona Marta, em Botafogo, Pavão-Pavãozinho/Cantagalo, entre Ipanema e Copacabana, Chapéu Mangueira/Babilônia, no Leme, e Ladeira dos Tabajaras/Morro dos Cabritos, em Copacabana.

Na zona norte, na área conhecida como “Grande Tijuca”, o governo inaugurou unidades nos morros do Borel, da Formiga, do Andaraí, do Turano e do Salgueiro. Na zona oeste, a polícia ocupou as comunidades do Jardim Batan, em Realengo, e de Cidade de Deus, em Jacarepaguá. No Centro, o Morro da Providência também ganhou uma UPP.

Estimativas da secretaria estadual de Segurança apontam que as unidades pacificadoras beneficiam, no total, aproximadamente 240 mil pessoas de 44 comunidades.

    Leia tudo sobre: UPPMORRO DOS MACACOSHELICÓPTERO

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG