'Tortura foi o que vivi durante 10 anos silenciosamente', diz Verônica Costa

Empresária de funk e ex-vereadora foi indiciada por tortura após ser acusada de espancar o ex-marido em fevereiro

iG Rio de Janeiro |

O Globo
Funkeira Verônica Costa chega para prestar depoimento na 42ª DP sobre suposta tortura contra marido
Após ser indiciada por tortura nesta quarta-feira (23) pela Polícia Civil do Rio de Janeiro acusada de espancar o ex-marido, Márcio Giovani Costa, em fevereiro deste ano, a empresária de funk e ex-vereadora Verônica Costa comentou o caso em uma nota enviada pela sua assessoria de imprensa.

Leia também : Verônica Costa é indiciada por tortura contra ex-marido

No comunicado, Verônica disse foi vítima de tortura por 10 anos e que o ex-marido não tem escrúpulos. Confira a nota na íntegra:

" Tortura foi o que vivi durante 10 anos silenciosamente, agüentando como muitas mulheres por amor e falta de visão, viver ao lado de alguém tão sem escrúpulos tendo somente por testemunhas minha família, amigos e Deus. Mulheres sofrem silenciosamente, não torturam homens, mesmo com todo mal e abuso que esses possam fazer. Agora entendo e solidarizo ainda mais com o sofrimentos de todas as companheiras que passaram pelo menos um pouco do sofrimento que estou passando.Os que me conhecem ou pelo menos acompanham minha carreira sabem que sempre fui uma mulher feita de amor, sempre trabalhei resgatando vidas, encaminhando os jovens para uma vida de justiça social e respeito ao próximo.Agradeço o apoio de todos e conto com suas orações ".

De acordo com policiais da 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes), o irmão, a irmã e o padrasto de Verônica Costa também foram indiciados pelo crime. O inquérito policial vai ficar agora com o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, que irá oferecer denúncia ou não à Justiça.

Segundo a polícia, a prisão temporária dos cinco acusados não foi solicitada. Eles aguardarão o possível julgamento em liberdade porque sempre compareceram à delegacia para prestar esclarecimentos quando convocados e não têm mais como alterar provas, visto que o crime ocorreu há nove meses.

Relembre o crime

Márcio Giovani Costa registrou queixa contra Verônica Costa na noite do dia 22 de fevereiro por tentativa de homicídio. De acordo com ele, o irmão, a irmã e o padrasto da ex-vereadora o amordaçaram e amarraram suas mãos e seus pés com correntes para uma sessão de espancamento. Eles ainda tentaram afogar Márcio no vaso sanitário, de acordo com a vítima.

Segundo seu relato, a ocorrência teria começado na noite do dia 21 no banheiro da residência em que ele morava com Verônica, no bairro de Vargem Grande, na zona oeste do Rio. O espancamento e a tortura - com ameaças de atear fogo em um produto inflamável que jogaram no seu corpo - teriam sido comandados pela ex-mulher.

À polícia, ele afirmou que o motivo das agressões seria a desconfiança de Verônica de que o ex-marido teria uma amante. Ela também o teria acusado de ter se apropriado de seus bens. Márcio afirmou à polícia ter conseguido fugir da casa somente às 17h do dia 22 e, com queimaduras de segundo grau pelo corpo, pediu ajuda a vizinhos.

Passado de polêmicas

Verônica Costa e seus familiares negam as acusações. A ex-vereadora afirmou à polícia que o ex-marido chegou em casa no dia 21 de fevereiro sob efeito de drogas e machucado. Fora de si, ele teria roubado alguns objetos da antiga residência do então casal. Um exame feito pela polícia, no entanto, apontou que Márcio não tinha usado entorpecentes naquele dia.

O relacionamento de Verônica Costa e seu ex-marido foi marcado por polêmicas. Em outubro de 2010, a empresária de funk prestou queixa contra ele na Delegacia da Mulher de Jacarepaguá por agressão. De acordo com seu depoimento, Márcio teria apontado uma arma contra a cabeça da ex-mulher e apertado o gatilho. A arma, no entanto, estaria sem munição.

Apesar de a agressão ter ocorrido em setembro, Verônica só prestou queixa após perder as eleições para deputada estadual. Na época, a Justiça determinou que Márcio não ficasse a menos de 500 metros da ex-vereadora. Eles, entretanto, reataram pouco tempo depois da queixa.

    Leia tudo sobre: verônica costatortura

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG