Tiros disparados por PMs acertaram Juan, diz polícia

De acordo com inquérito, no dia da morte do menino não houve confronto com traficantes

iG Rio de Janeiro |

O inquérito realizado pela Polícia Civil aponta que o menino Juan Moraes , de 11 anos, foi atingido por disparos feitos por policiais militares e que não houve confronto entre soldados do 20º BPM (Mesquita) e traficantes no dia da morte da criança.

A informação foi divulgada nesta quarta-feira (20) pelo titular da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense, Ricardo Barbosa. Segundo ele, esses fatos foram determinantes no indiciamento dos PMs investigados pela morte de Juan.

“Os tiros foram de fuzil e não de pistola, indicando que não ocorreu confronto no local”, disse o titular.

De acordo com o delegado, o inquérito também aponta que os PMs demoraram 23 minutos para socorrer o adolescente Igor de Souza Afonso, de 17 anos, apontado como traficante de drogas.

Na terça-feira (19), o Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro pediu à Justiça a prisão temporária por 30 dias de quatro policiais militares investigados pelo desaparecimento de Juan.

O menino desapareceu no dia 20 de junho na Favela Danon, no município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Na ocasião, o irmão de Juan, Wesley, de 14 anos, e um jovem de 19 anos foram baleados. Um suspeito de integrar o tráfico foi morto.

    Leia tudo sobre: caso juanmenino juanjuan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG