Teresópolis tem estrutura de guerra para resgates

Pelo menos 11 helicópteros foram cedidos para auxiliar no trabalho de buscas na cidade

Flávia Salme, enviada a Teresópolis |

Com a chegada de militares do Comando MIlitar do Leste (CML) em Teresópolis, a cidade começa a viver uma operação de guerra para o resgate de vítimas que permancem isoladas em diversos pontos da cidade. Pelo menos 11 helicópteros foram cedidos para auxiliar o trabalho.

De acordo com o general César Leme, comandante da Brigada de Infantaria Motorizada do Exército, seis helicópteros do Batalhão de Aviação já atuam nas áreas afetadas, com cerca de 40 homens. O centro de operações dos militares foi montado na Granja Comary, onde costuma treinar a Seleção Brasileira.

"Viemos dar apoio com equipamentos para a desobstrução de acessos terrestres, reconstrução de pontes e estradas", explicou o general. "Os helicopteros estão sendo usados no resgate de pessoas em áreas isoladas e no transporte de mantimentos", disse o militar.

O major Alexandre Aragon, diretor da Força Nacional de Segurança (FNS), que também está na cidade, já foi mapeado um grupo de 127 pessoas que precisam de resgate.

O coronel Merkel, comandante do 25º Batalhão Logístico do Exército, informou que conta com uma tropa de 226 homens que atuam em 38 viaturas como jipes, ambulâncias e caminhões para transporte de equipamentos que serão usados para desobstruir acessos.

Polícias de SP, MG e ES ajudam

A cidade de Teresópolis ainda recebeu ajuda das polícias militar e civil dos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo, que cederam helicópteros para auxiliar o trabalho (um de cada Estado). A Força Nacional de Segurança também cedeu uma aeronave.

Ao todo, 27 bairros estão na mira da força-tarefa montada para os trabalhos de resgate. A maior parte deles fica na zona rural do município.

    Leia tudo sobre: tragédia teresópolisexércitofnsresgate

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG