Teresópolis estima em mais de 500 os mortos na cidade

Secretário de Segurança, coordenador do Centro de Gerenciamento de Crise, acredita que desaparecidos superem os 151 registrados

Raphael Gomide, iG Rio de Janeiro |

Helio Motta
Bombeiros retiram de helicóptero corpos de vítimas das chuvas em Teresópolis
A prefeitura de Teresópolis estima em mais de 500 os mortos no município, em decorrência dos deslizamentos provocados pelas chuvas da semana passada. O número se aproxima do dobro da cifra oficial da noite desta segunda-feira (17), 276.

A afirmação foi feita ao iG pelo secretário de Segurança Pública de Teresópolis, Jefté Laet, nesta noite. Laet é o chefe do Centro de Gerenciamento de Crise, que coordena os trabalhos do Exército, Polícia Militar e Bombeiros, entre outros, na crise de Defesa Civil. No total, são cerca de 1.100 pessoas, sem contar o pessoal do Exército.

Ele se baseou na atual quantidade de mortos confirmados e no número registrado de desaparecidos na cidade, 151 – 426, na soma. Ele estima, porém, que haja ainda bem mais desaparecidos do que os contabilizados pelas autoridades.

“Infelizmente, imaginamos que o número supere 500 mortos”, afirmou. Se essa previsão se concretizar, os mortos atingirão a marca de quase 900 pessoas no Estado.

Laet foi, talvez, a primeira autoridade pública a ser mobilizada após o início da tragédia, ainda na madrugada de quarta-feira. “A representante de uma ONG local me ligou às 3h pedindo socorro para funcionários seus. À medida que saí com meu carro e fui vendo a situação, ao lado de cinco guardas municipais, por volta das 4h acionei o plano de emergência de segurança, da Guarda Municipal. Ficamos horrorizados de ver corpos boiando, árvores, sofás e botijões de gás boiando em alta velocidade no rio, enquanto socorríamos feridos”, lembra.

Helio Motta
Secretário de Segurança, Laet estima em mais de 500 os mortos em Teresópolis
Na noite desta segunda, além dos 275 mortos e 151 desaparecidos, havia registro de 676 feridos atendidos nos hospitais da cidade e de 3.000 desabrigados – 1331 desses já estão alojados em casas de parentes e amigos.

Nesta segunda, foram seis os mortos registrados pelo IML de Teresópolis e não houve resgates de pessoas em áreas isoladas.

“Nesta terceira fase de operações em catástrofes, estamos fazendo especialmente a administração da moradia, alimentos e tentando minimizar a desgraça e o sofrimento das pessoas, coordenando os esforços irmanados das diferentes equipes”, explica Laet, capitão policial militar da reserva, com 13 anos de ações no Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais).

O Centro de Gerenciamento de Crise recebeu nesta segunda cerca de 40 telefonemas nos números disponibilizados (2743-0155/2742-9321/2742-9684/2742-4707).

    Leia tudo sobre: Teresópolischuvamortos500

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG