Taxistas são indiciados por tentativa de homicídio no Rio

Quatro profissionais que agrediram colega no Aeroporto Tom Jobim vão responder pelo crime. Outros quatro por omissão de socorro

iG Rio de Janeiro |

Quatro taxistas de cooperativa que trabalha no Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador, zona norte do Rio de Janeiro, foram indiciado por tentativa de homicídio por causa da agressão a um colega de trabalho no dia 7 de julho. Outros quatro profissionais, que também trabalham em cooperativas no local, vão responder por omissão de socorro, pois não teriam impedido as agressões nem pedido ajuda para a vítima. Imagens cedidas por uma testemunha mostram o momento em que o taxista Kléber Rosa, 31 anos, foi espancado. Câmeras do circuito de segurança do aeroporto também flagraram o crime.

Segundo a polícia, Kléber foi indiciado por exercício ilegal da profissão, já que durante as investigações foi constatado que ele não possuía autorização da Secretaria Municipal de Transportes para trabalhar. O crime teria sido cometido porque os taxistas das cooperativas não gostaram quando Kléber pegou um passageiro no aeroporto.

Os acusados vão aguardar o fim do processo em liberdade, já que a polícia decidiu não pedir prisão preventiva para eles, que estariam colaborando com as investigações e não estariam ameaçando a vítima ou tentando fraudar provas.

Punição

José Cosmo Neres de Freitas, Edson Neres de Freitas, Wagner de Oliveira Manoel e Vinícius de Araújo foram indiciados por tentativa de homicídio qualificada por motivo fútil e dificuldade de defesa da vítima. Eles podem ser condenados a até 20 anos de prisão. Já Sandro de Souza, Luiz Ramos de Oliveira, José Carlos Santos Rangel e Muniz Pereira da Silva foram indiciados por omissão de socorro. Cada um pode pegar até 9 anos de prisão ou pagar multa.

    Leia tudo sobre: Agressãotaxistasaeroporto Tom Jobim

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG