STJ mantém preso militar acusado de entregar jovens a traficantes

Caso ocorreu em 2008 no morro da Providência. Militares levaram rapazes para o morro da Mineira. Vítimas foram assassinadas

iG Rio de Janeiro |

 A ministra Laurita Vaz, do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou o pedido de liberdade para o sargento do Exército Leandro Maia Bueno. Ele é um dos 11 militares acusados de entregar três jovens do Morro da Providência a traficantes do Morro da Mineira, na região central do Rio de Janeiro, em 2008.

Leandro está preso preventivamente desde 15 de junho de 2008. No STJ, a sua defesa sustenta excesso de prazo na formação da culpa e busca, em liminar e no mérito, a concessão de alvará de soltura.

Em sua decisão, a relatora destacou que a medida cautelar que determinou a prisão não se mostra, em princípio, carente de fundamentação.

A ministra solicitou informações ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) sobre o andamento da ação penal. Após, determinou o envio dos autos ao Ministério Público Federal (MPF) para o parecer.

Entenda o caso

O crime ocorreu quando militares vigiavam o Morro da Providência durante as reformas de casas no projeto federal Cimento Social.

Segundo o MPF, comandados pelo tenente Vinícius Ghidetti de Moraes Andrade, os militares levaram as três vítimas num caminhão do Exército ao Morro da Mineira, controlado por uma facção de traficantes rival aos que atuam no Morro da Providência.

Segundo a denúncia, todos os réus sabiam que os jovens seriam mortos. Os rapazes foram assassinados com 46 tiros.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG