Sistema de comunicações mais moderno ajuda Core contra hackers

Modelo antigo era aberto e vulnerável a criminosos e jornalistas

iG Rio de Janeiro |

Até os Jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio, as comunicações da Polícia Civil eram facilmente interceptadas por criminosos e até por jornalistas, na escuta, em busca de notícias quentes, em tempo real.

Fabrizia Granatieri
Com equipamento de comunicações mais seguro e moderno, Balduíno orienta operações da Core e de outras delegacias do Rio
Com dinheiro da Secretaria Nacional de Segurança, a Polícia Civil reequipou o seu Cecopol (Coordenadoria de Comunicações da Polícia Civil) com novos rádios e um sistema de comunicação mais moderno para ajudar em operações da Core e de outras unidades da força.

É com dez rádios modernos, a partir de um prédio no centro, entre a Chefia de Polícia e a Core, que Carlos Alberto Balduíno e mais 46 pessoas orientam por rádio todas as unidades da força em operação.
“Nosso atual sistema é seguríssimo. É fechado, digital, troncalizado e criptografado. Desafio qualquer hacker a entrar no nosso sistema. Só é possível se for configurado internamente”, disse Balduíno, que já foi chamado até de “DJ”.

Da sala de operações, ele tem contato ainda com as polícias Militar, Federal, Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros.

“Boto o Rio de Janeiro inteiro em qualquer favela. Se eu chegar no rádio, vai todo mundo! Não falo como um robô, humanizo e tento dar um incentivo para o pessoal da pista”, conta o seu método.

Leia também:

*Tropa de elite, Core faz de invasão tática a retrato falado

*Retrato falado não é igualzinho à pessoa, diz especialista

*Faro policial experiente com apenas seis anos de idade

*Treinamento duro para entrar na Core, elite da Polícia Civil

    Leia tudo sobre: sistemacomunicaçõesCoremoderno

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG