Secretário de Segurança do Rio sobre caso Juan: 'É vergonhoso'

Beltrame reclamou de erros da polícia na investigação da morte de menino de 11 anos após tiroteio na favela onde a criança morava

iG Rio de Janeiro |

AE
Secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame
O secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, classificou de "vergonhoso" o trabalho da polícia na investigação da morte do menino Juan Moraes durante um tiroteio na Baixada Fluminense, no último dia 20.

Na sexta-feira (8), uma testemunha relatou ter visto o momento em que Juan foi baleado e acusou os policiais pelos disparos . A moradora contou que viu o corpo do menino ser escondido pelos PMs sob um sofá abandonado na favela, e afirmou que logo depois os policiais retornaram para retirar o corpo do local.

O secretário participou na manhã deste domingo de um evento preparatório para os Jogos Mundiais Militares na Praia de Copacabana, na zona sul do Rio, quando fez as afirmações ao ser abordado por jornalistas. De acordo com a assessoria de imprensa de Beltrame, ele afirmou que o episódio o deixou triste e que a Secretaria de Segurança terá de agir de maneira "exemplar" e com "mais transparência".

"É triste e, para mim particularmente, é até vergonhoso. As polícias Civil e Militar estavam fazendo um trabalho inimaginável até pouco tempo atrás", falou, em referência às Unidades de Polícia Pacificadoras (UPP). "A gente fica triste por existir esses dois lados", acrescentou, ao falar sobre a suspeita de que quatro PMs tenham sido responsáveis pela morte e pelo sumiço do corpo do menino .

    Leia tudo sobre: juanpmsacusadoshomicídiodanonnova iguaçu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG