Em depoimento, mulher que estava com vítima acusou asiático de ter cometido o crime por ciúmes

A Polícia Civil do Rio de Janeiro pedirá a prisão do chinês suspeito de ter matado a facadas o angolano Antônio Conceição Manoel, no último domingo (13), no Complexo da Maré, na zona norte da capital fluminense. O nome do asiático não foi revelado.

Em depoimento na Delegacia de Homicídios, Simone Rodrigues de Souza, que estava com o angolano na hora do crime, acusou o chinês de ter cometido o assassinato. Ela contou que o asiático estava inconformado com o fim do relacionamento e, ao vê-la com o outro homem, resolveu matá-lo.

Segundo Simone, o chinês invadiu a casa e, aproveitando-se que o casal estava dormindo, deu três facadas em Antônio Conceição, a golpeou e fugiu. Simone ficou ferida no braço. Ela confirmou no depoimento que tinha um relacionamento amoroso com o angolano.

Após ser esfaqueado, Antônio ainda foi levado para o Hospital Geral de Bonsucesso, na zona norte, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Angolano era casado, diz parente

Um primo de Antônio, que não quis se identificar, disse ao iG que a mulher e o chinês estariam separados há pelo menos um ano mas o asiático ainda pagaria as suas contas. Segundo ele, o primo era casado, pai de dois filhos, mas mantinha um romance com Simone há pelo menos um mês.

Segundo o parente, Antônio completaria 24 anos no próximo dia 31, estava há seis anos no Brasil e trabalhava como autônomo. Ele disse ter recebido informações de Simone de que o chinês trabalhava em uma lanchonete, na Pavuna, na zona norte. Os parentes do angolano foram até o local, mas não conseguiram localizar o asiático

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.