RJ: Polícia Militar afasta comando de UPP após denúncia de propina

No suposto esquema, traficantes pagariam valores a policiais de UPP para que repressão ao comércio de drogas não fosse feita

iG Rio de Janeiro |

A Polícia Militar do Rio de Janeiro informou neste domingo (11) que foram afastados de seus postos o comandante e o subcomandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) dos morros da Coroa e Fallet / Fogueteiro, capitão Elton Costa e tenente Rafael Medeiros. Um inquérito instaurado pela corporação investiga um suposto esquema de pagamento de propina por traficantes a policiais dessa UPP.

Reportagem divulgada pelo jornal “O Dia” aponta que o esquema abasteceria os agentes com valores que variam de R$ 400 a R$ 2 mil e no mês totalizam mais de R$ 53 mil. As quantias seriam enviadas em envelopes nominais e variavam de acordo com a patente e a importância do soldado no policiamento.

Com os valores pagos, as ações de fiscalização na UPP não seriam feitas. Os agentes também não fariam repressão ao comércio ilegal de drogas nessas comunidades ocupadas. As quantias supostamente pagas não foram confirmadas pela PM.

Roberto Moreyra / Agência O Globo
Policiamento reforçado no domingo (11) na UPP do Morro do Fallet/Fogueteiro
De acordo com a corporação, a investigação que apura as denúncias está em fase final e deve ser concluída em uma semana. “Esperamos que todos os policiais envolvidos sejam identificados e julgados. Os culpados serão punidos e expulsos da corporação, não vejo outro caminho. À Polícia Militar, não interessa manter policiais com desvio de conduta”, disse o comandante Mário Sérgio Duarte.

Irregularidades

Segundo o comandante da PM, o afastamento dos chefes da UPP dos morros da Coroa e Fallet / Fogueteiro é uma medida administrativa e não punitiva, já que a participação deles no esquema não foi confirmada. O afastamento deve permanecer pelo menos até a conclusão das investigações.

A reportagem do jornal “O Dia” informa que 30 agentes da UPP estão sendo investigados. O número não é confirmado pela PM. “Não nos furtaremos de tomar medidas duras, mesmo que os punidos ocupem cargos representativos na hierarquia da instituição”, garantiu.

A UPP investigada foi inaugurada em fevereiro deste ano. Localizada entre os bairros do Rio Comprido, Catumbi e Santa Teresa, a unidade conta com um efetivo de 206 soldados.

Histórico

Na última segunda-feira (5), três PMs lotados na UPP dos morros da Coroa, Fallet e Fogueteiro foram presos portando cerca de R$ 13 mil . Os agentes estavam em um carro e não souberam explicar a procedência do dinheiro, separado em envelopes.

Em junho, outros três policiais dessa UPP sofreram um ataque de traficantes do Morro da Coroa com o arremesso de uma granada. O artefato explodiu e um dos soldados teve uma perna amputada . Os agentes estavam investigando uma denúncia sobre venda de drogas. De acordo com o jornal “O Dia”, o ataque foi uma represália a esses policiais porque eles não participavam do esquema de propina.

Neste sábado, um PM ficou ferido após um tiroteio com traficantes no Morro do Fallet . Agentes da UPP faziam uma ronda na região quando desconfiaram de um grupo de aproximadamente dez pessoas. Durante a abordagem, um dos suspeitos atirou contra os agentes. Houve perseguição, mas os criminosos conseguiram fugir.

O soldado ferido foi encaminhado para o Hospital Central da Polícia Militar. De acordo com a unidade, o paciente passou por uma cirurgia e não corre risco de morte. Seu quadro é considerado estável, mas ele corre risco de ficar paraplégico porque a bala teria atingido a coluna.

Assista ao vídeo sobre o caso:

Caso não consiga ver este vídeo, clique no link abaixo para assistir na TV iG:

PM afasta comando de UPP após denúncia de propina

    Leia tudo sobre: UPPmorro do falletfavela pacificadapropinacorrupção

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG