Rio não registra ocorrências graves na madrugada

PMs foram vistos em suas cabines e viaturas circulavam pela cidade

AE |

selo

Fernando Quevedo / Agência O Globo
Policiamento na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, foi normal na madrugada deste sábado (11)
A segunda madrugada da greve decretada por bombeiros e policiais civis e militares do Rio de Janeiro não registrou ocorrências graves nem afetou o patrulhamento em regiões da cidade, como a zona sul e o centro. Os pontos fixos da Operação Lei Seca funcionaram normalmente, com apoio da PM. Em Copacabana, Ipanema e Leblon, PMs foram vistos em suas cabines durante a madrugada, viaturas circulavam pela cidade ou ficaram paradas em pontos estratégicos.

Leia também: 'O momento mais tenso já passou', diz chefe do Estado Maior da PM do Rio

Dezesseis policiais e um bombeiro, apontados como líderes do movimento, continuam presos em Bangu 1. Dez deles foram detidos por força de mandado judicial e sete em flagrante. De acordo com o chefe do Estado Maior Administrativo da Polícia Militar, Robson Rodrigues , os 129 policiais presos administrativamente foram liberados para responder ao processo em liberdade. "Eles estão indiciados, vão responder ao processo sumário e alguns, muito provavelmente, serão excluídos da corporação. Não podemos deixar a população refém desse tipo de policial que fomenta o medo", afirmou.

Os 123 bombeiros tiveram a prisão administrativa decretada na sexta-feira (10) se reuniram no 3.º Grupamento Marítimo (Copacabana) para negociar a suspensão da punição. Alguns guarda-vidas não se apresentaram para trabalhar ontem na orla, mas foram substituídos pelo comando da corporação.

    Leia tudo sobre: grevepoliciais militarespmsbombeirosparalisação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG