Protesto contra a divisão dos royalties reúne 150 mil no Rio

Organizadores falam em 200 mil manifestantes. Artistas como Fernanda Montenegro e Xuxa participam do ato. Veja galeria de fotos

Flávia Salme, iG Rio de Janeiro |

Divulgação
O governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes junto da bandeira do Brasil durante protesto no Rio
Cerca de 150 mil pessoas participaram da manifestação contra as mudanças na distribuição dos royalties do petróleo na avenida Rio Branco e na Cinelândia, no centro do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (10). A estimativa de público foi feita pela Polícia Militar. Os organizadores, no entanto, falam em 200 mil pessoas. O evento foi encerrado por volta das 20h.

A atriz Fernanda Montenegro abriu o protesto no palco montado em frente à Câmara Municipal e lendo o que foi chamado de Manifesto do Rio afirmou: "Um dos pilares da democracia é a Justiça, que assegura a convivência pacífica entre os cidadãos".

Ela ainda afirmou que a luta pelos royalties não é uma "mera disputa entre estados da federação e, sim, uma batalha por Justiça".

José Egberto da Silva
A atriz Fernanda Montenegro discursou durante a manifestação

Antes da atriz ler o manifesto, o cantor Tony Garrido cantou o Hino Nacional acompanhado de um músico que tocava violino. Em seguida, a atriz Cissa Guimarães anunciou a exibição de vídeos com depoimento de artistas como Caetano Veloso. "Mexeu com o Rio, mexeu comigo", disse o cantor baiano em seu depoimento.

O grupo Sorriso Maroto provocou animação entre os manifestantes ao se apresentar no palco onde está o governador Sérgio Cabral e o prefeito do Rio Eduardo Paes.

Aliados e rivais na política fluminense estão juntos no palco,mostrando que o ato é suprapartidário. O protesto reúne o ex-governador e deputado federal Anthony Garotinho (PR) e sua mulher, a prefeita de Campos, Rosinha Garotinho. Nenhum político discursou no palco até 19h30.

A apresentadora Xuxa Meneghel também fez questão de participar do protesto.

"Sou gaúcha, mas carioca de coração. Não vou admitir essa injustiça que esses caras querem fazer. Temos de dar as mãos nesse momento difícil do estado do Rio de Janeiro", disse.

Incidentes

Segundo a PM, não foram registradas ocorrências graves durante o evento, apenas pequenos furtos que ainda não foram quantificados pela polícia.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, foram feitos 40 atendimentos em um Hospital de Campanha montado para a manifestação. A maior parte dos registros ocorreu por torções, pequenas escoriações e embriaguez. Quatro pessoas precisaram ser transferidas para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, para realizar exames de imagens como raios-X.

O comerciante João da Silva Nunes, de 45 anos, morador de Macaé, no Norte Fluminense, teve suspeita de fratura no pé esquerdo e foi conduzido para o Souza Aguiar, após, segundo contou, tentar subir na grade que protegia o palco para cantar ao lado de Lulu Santos, que encerrou o show.

"Me machuquei, mas valeu a pena", disse o manifestante enquanto entrava na ambulância dos bombeiros.

Veja galeria com outros artistas e personalidades que participaram da manifestação:

 * Colaborou: Anderson Ramos, especial para o iG Rio de Janeiro

    Leia tudo sobre: manifestaçãoroyaltiespetróleo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG