Promovidos por ato de bravura PMs que evitaram mais mortes em escola

Presidente da República em exercício, Michel Temer participou de solenidade

Anderson Dezan, iG Rio de Janeiro |

Agência Estado
Michel Temer entrega distintivo de "bravura e destemor" para policial que atirou em Wellington Oliveira
Os três policiais militares que evitaram mais mortes na Escola Municipal Tasso da Silveira , na última quinta-feira (7), foram promovidos na manhã de hoje por ato de "bravura e destemor" em uma solenidade com a presença do presidente da República em exercício, Michel Temer.

Na tragédia ocorrida no bairro de Realengo, na zona oeste do Rio, o ex-aluno Wellington Menezes de Oliveira invadiu duas salas de aula e matou 12 estudantes, baleando outros 12. Quando se dirigia a uma terceira classe, o atirador foi alvejado no abdômen pelo PM Márcio Alexandre Alves e logo depois cometeu suicídio, de acordo com a Polícia Militar.

"Estou feliz, pois é um reconhecimento da corporação e da população. Mas preferia não estar recebendo essa homenagem e ter aquelas crianças mortas aqui conosco”, disse Alves, que foi promovido a segundo sargento. Os cabos Denilson Francisco de Paula e Ednei Feliciano da Silva foram promovidos ao cargo de terceiro-sargento.

Durante o seu discurso, Temer disse que veio à cerimônia a pedido da presidenta Dilma Rousseff para trazer uma mensagem de agradecimento dela aos PMs. “Estou cumprindo essa tarefa e, assim como todos os cariocas e brasileiros, com dor no coração”. Para o presidente em exercício, o massacre em Realengo revelou uma nova face da violência. “Foi um ato de alguém com conceitos equivocados. Um ato transloucado de alguém que teve a mente envenenada e cometeu um desatino”, avaliou Temer.

O comandante-geral da PM, coronel Mário Sérgio Duarte, sugeriu que o massacre de Realengo não seja lembrado apenas “como um dia de fúria”, mas que sirva principalmente como um “marco contra a violência”. “Essa é a grande lição que temos que aprender com esse doloroso evento”. 

Em seu pronunciamento, o comandante disse, ainda, que o Alcorão, não possui relação com o “desatino de mentes desequilibradas”, e terminou citando um trecho do livro sagrado da religião islâmica. “As crianças são o ornamento da vida neste mundo”, finalizou.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG