Promotoria denuncia quadrilha que traficava anabolizantes pelos Correios

Alguns dos suspeitos foram presos durante operação da PF em maio no Rio e em outros três Estados

iG Rio de Janeiro |

O Ministério Público Federal no Rio de Janeiro (MPF/RJ) denunciou à Justiça 16 suspeitos de integrar uma organização criminosa que traficava lança-perfumes e distribuía ilegalmente medicamentos, como abortivos e anabolizantes, na região metropolitana fluminense. Alguns denunciados tinham sido presos ou alvo de buscas e apreensões na Operação Papa-Léguas, realizada no último dia 11 pela Polícia Federal (PF) , no Rio e em outros três Estados (MG, PR e SC).

Segundo as investigações, a quadrilha atuava com um distribuidor em Pinhalzinho (SC), que tinha uma rede de fornecedores que incluía Argentina e Paraguai e com clientes que recebiam encomendas até mesmo por Sedex.

Entre os medicamentos vendidos, havia alguns sujeitos a controle especial, como o abortivo Cytotec e anabolizantes estrangeiros, além de dois remédios paraguaios sem registro na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária): Pramil (para disfunção erétil) e Rheumazin forte (anti-reumático).

O procurador da República Renato Silva de Oliveira denunciou os 16 por tráfico de drogas (pena de cinco a 15 anos de reclusão), distribuição ilícita de medicamentos (dez a 15 anos e multa), contrabando ou descaminho (um a quatro anos de prisão) e formação de quadrilha para prática de crime hediondo (três a seis anos). Dez denunciados já haviam tido a prisão preventiva decretada pela Justiça, dos quais três continuam foragidos.

A denúncia relata entradas de lança-perfumes que levaram à prisão em flagrante de dois denunciados em 6 de maio e 23 de novembro passado, com 258 e 1.253 frascos do entorpecente, respectivamente. Ao ser preso, um deles carregava ainda 57.880 comprimidos de Pramil.

    Leia tudo sobre: promotoriadenúnciaquadrilhatráficoanabolizantes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG