Procuradoria entra com ação contra superintendente da PF no Rio

Nivaldo Farias vai responder ação por ter mandado investigar delegado que relatou falhas no setor de Inteligência

iG Rio de Janeiro |

O Ministério Público Federal no Rio de Janeiro (MPF-RJ) propôs ação por improbidade administrativa contra o superintendente regional da Polícia Federal no Estado, Nivaldo Farias de Almeida, e o corregedor, Luiz Sérgio de Souza Góes.

Eles responderão por desvio de finalidade ao instaurar processo disciplinar contra delegado que testemunhou em inquérito civil público do Grupo de Controle Externo da Atividade Policial do MPF/RJ. Na ocasião, ele relatou irregularidades no setor de Inteligência da PF no Rio.

Com a ação, os delegados Nivaldo e Góes estão sujeitos às penas fixadas pela lei de improbidade administrativa (8.429/92), como perda da função pública, suspensão dos direitos políticos e pagamento de multa. A ação, proposta pelos procuradores da República Fábio Seghese e Marcelo Freire, tramita na 18ª Vara Federal do Rio de Janeiro.

O inquérito em que o delegado intimidado prestou esclarecimentos ao MPF apura sinais de ineficiência da PF no combate ao tráfico de drogas e armas e na produção e circulação de informações de inteligência.

“O objetivo do poder disciplinar é reprimir o desvio de conduta, e não blindar a cúpula das instituições contra a atuação dos órgãos de controle”, afirmaram os procuradores responsáveis pela ação.

O iG ainda não conseguiu falar com representantes da PF no Rio para que comentem a acusação.

    Leia tudo sobre: procuradoriaprocessoPFRio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG