Presidente de associação de moradores de Manguinhos é preso no Rio

Leonardo Januário da Silva é acusado de ser o principal articulador do esquema de invasão das casas do PAC. Imóveis eram vendidos por até R$ 20 mil

AE |

selo

O presidente da Associação de Moradores da comunidade do Mandela, no Complexo de Manguinhos, na zona norte do Rio, foi preso na quinta-feira (19), acusado de envolvimento em esquema de vendas de casas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), naquela comunidade. 

Especial: PAC completa cinco anos e vira bandeira de Dilma para 2012
PAC no Alemão: Avanço e abandono coexistem na obra que fez de Dilma a 'mãe do PAC'

Leonardo Januário da Silva é apontado nas investigações como o principal articulador do esquema de invasão das casas do PAC. Cada casa era vendida por Leonardo ao valor de R$ 15 mil a R$ 20 mil e, muitas vezes, moradores eram inventados para receberem o aluguel social.

O esquema teria proporcionado a Leonardo comprar uma casa avaliada em R$ 350 mil, além de diversos carros. 

De acordo com os agentes, a lista era criada por ele mediante o pagamento da quantia mencionada. Em outras, ele mandava construir portas ou divisórias em barracos existentes para justificar o recebimento do aluguel social. O esquema também contava com o apoio do traficante conhecido como Marcelo "Piloto", responsável pelo tráfico naquela localidade. 

As investigações também revelaram que Leonardo chegou a mandar construir barracos para poder ser beneficiado. As casas eram marcadas com a letra L para poderem ser identificadas. Familiares de Marcelo "Piloto" se beneficiaram com no mínimo 12 unidades. 

Os policiais identificaram dois esquemas ilícitos bem característicos e delineados: o primeiro seria o recebimento indevido de aluguel social e, o segundo, a entrega de casas mediante pagamentos de R$ 15 mil a R$ 20 mil, cujos beneficiários eram inseridos na lista após o recebimento do dinheiro.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG