No início de 2010, 48 pessoas morreram na cidade por conta de temporais

Passados seis meses das tragédias causadas pelas chuvas, que deixaram 48 mortos na cidade, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, não descartou nesta terça-feira (5) a possibilidade de novos deslizamentos de terra em decorrência dos temporais do próximo verão.

Eduardo Paes apresentou planos para as chuvas do próximo verão
Beth Santos
Eduardo Paes apresentou planos para as chuvas do próximo verão
“Nós não atingimos o mundo ideal ainda. Porque, infelizmente, se ocorrer uma chuva como aquela, não vai ser só a Lagoa Rodrigo de Freitas que vai encher. Provavelmente teremos mais deslizamentos em áreas onde as pessoas vivem”, afirmou o prefeito.

Paes adiantou que a prefeitura está construindo um centro de operações para a prevenção de acidentes decorrentes das chuvas. Segundo o prefeito, o centro será um dos mais modernos do mundo e contará com um novo radar meteorológico que detecta nuvens baixas, como as que causaram os temporais de abril, e garante mais rapidez na prevenção de temporais.

Atualmente, a cidade utiliza um radar da Aeronáutica localizado no município de Petrópolis, Região Serrana do Estado. O aparelho só detecta nuvens mais altas, justamente por ficar a 838 metros acima do nível do mar.

Ao fazer o balanço das ações emergenciais feitas pela prefeitura depois do desastre, nesta terça-feira, o prefeito Eduardo Paes lembrou que está investindo R$ 442 milhões, sendo R$ 200 milhões do governo federal, na reconstrução da cidade. Parte das 280 obras de contenção em 47 bairros estão em andamento.

Além disso, ainda de acordo com a prefeitura, 26 rios e canais foram desassoreados e 25 pontos de alagamento na zona oeste da cidade foram eliminados. Cerca de 75% dessas obras de recuperação foram concluídas. A previsão de conclusão das intervenções restantes é dezembro deste ano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.