Prefeito de Teresópolis morre dois dias depois de assumir

Roberto Pinto infartou na madrugada deste domingo. Sucessor será presidente da Câmara, Arlei de Oliveira Rosa, que já tomou posse

iG Rio de Janeiro |

AE
Parentes, políticos e moradores de Teresópolis acompanham o velório de Roberto Pinto, na Prefeitura
Dois dias depois de assumir a Prefeitura de Teresópolis, na Região Serrana do Rio, o médico ortopedista Roberto Pinto (PR), de 67 anos, morreu. Segundo os médicos, ele sofreu um infarto na madrugada deste domingo (7), mas já estava internado desde sábado, quando começou a passar mal. O presidente da Câmara de Vereadores, Arlei de Oliveira Rosa (PMDB), sucederá Roberto Pinto na gestão interina. Arlei foi ao velório do antecessor e afirmou ao iG que "será um sacrifício muito grande" assumir o cargo desta forma. Ele tomou posse no fim da tarde deste domingo, em rápida solenidade na Câmara dos Vereadores, e decretou luto oficial por três dias no município, além de ponto facultativo nos órgãos públicos de Teresópolis. Ele deverá ficar no cargo por 90 dias.

Robertão, como era chamado o ex-prefeito interino, assumiu o cargo na sexta-feira (5), após o prefeito Jorge Mário Sedlacek ser afastado pela Câmara de Vereadores , por um período de 90 dias.

O afastamento de Jorge Mário (sem partido) foi aprovado após denúncias de desvio da verba destinada a reparar os estragos provocados pelas chuvas na região, em janeiro deste ano.

De acordo com vereadores da Câmara Municipal de Teresópolis, Jorge Mário é suspeito do desvio de R$7 milhões destinados pelo Ministério da Integração Nacional às vítimas da tragédia de janeiro.

O afastamento do prefeito foi anunciado na última terça-feira (2), mas o vice-prefeito Roberto Pinto só pôde ser empossado na sexta, porque Jorge Mário entrou com um mandado de segurança na 3ª Vara Cível de Teresópolis na tentativa de anular a decisão do Legislativo. Seu pedido foi negado e o prefeito afastado recorreu ao Tribunal de Justiça.

No sábado, antes de ser internado, Roberto Pinto cumpriu expediente na Prefeitura, quando nomeou novos secretários da cidade.

À noite, já em casa, ele comçou a passar mal e foi levado para o Hospital São José, no bairro de Iúcas, onde faleceu. Ele era casado, deixa seis filhos e dez netos.

O corpo foi velado na Prefeitura de Teresópolis, no hall de entrada. Enterro foi marcado para as 17h de domingo, no cemitério da cidade.

Histórico

De acordo com o vereador Marcelo Oliveira (PMN), o prefeito Roberto Pinto lutava contra um câncer, mas como também sofria de doença cardíaca, não podia fazer uso de medicamentos na dose ideal.

AE
Roberto Pinto morreu dois dias depois de assumir interinamente a prefeitura de Teresópolis
"Ele tinha câncer de próstata e problemas cardíacos. Isso o impedia de tomar os remédios contra o câncer na dose certa", disse o político. "Por conta dos problemas de saúde, a família não queria que Robertão assumisse. Um dos filhos dele falou isso comigo na quinta-feira", lembrou.

Especializado em ortopedia e medicina do trabalho, Roberto Pinto foi professor da Faculdade de Medicina de Teresópolis durante 30 anos, entre 1976 e 2006.

Ele também dirigiu os hospitais Hospital das Clínicas de Teresópolis, Casa de Saúde N. S. Fátima e Beneficência Portuguesa.

Ele entrou para a política em 1987. Foi deputado estadual e federal até ser eleito, em 2008, vice-Prefeito de Teresópolis na chapa com Jorge Mario.

No ano seguinte, Roberto pinto rompeu com Jorge Mário. Em carta pública ele afirmou estar em desacordo com a administração municipal.

    Leia tudo sobre: prefeitoteresópolismorreu

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG