Por causa de incêndio, carnaval não terá escola rebaixada neste ano

Prefeitura e Liesa mudam regulamento para evitar que Grande Rio, Portela e União da Ilha, afetadas pelo fogo, sejam prejudicadas

Fábio Grellet, especial para o iG |

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, anunciou na noite desta segunda-feira (6) que nenhuma escola de samba do grupo especial do Rio será rebaixada após o desfile deste ano. A mudança no regulamento foi decidida durante reunião com o presidente da Liesa (Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro), Jorge Castanheira, e os presidentes das três escolas cujos barracões foram incendiados na manhã desta segunda na Cidade do Samba. O fogo destruiu os barracões da Portela, União da Ilha e Grande Rio - a principal prejudicada, que perdeu tudo, inclusive os figurinos de suas fantasias.

Com a mudança, o carnaval em 2012 contará com 13 escolas no Grupo Especial. As 12 atuais mais a campeã do Grupo de Acesso. Com isso, o regulamento de 2012 também sofrerá uma alteração, permitindo o rebaixamento de duas agremiações, em vez de apenas uma. Assim, em 2013 o desfile da elite do carnaval carioca voltará a ter 12 escolas.

Outra decisão anunciada pelo prefeito foi a troca da data de desfile da Portela, cuja exibição ocorreria na segunda-feira, 7 de março. A agremiação trocou de dia com a Mocidade de Independente de Padre Miguel que inicialmente se apresentaria no domingo, dia 6. A troca foi necessária porque todas as três escolas afetadas pelo incêndio se apresentariam na mesma data, o segundo dia de desfile.

A prefeitura informou que quem não concordar com a mudança da data de desfiles, da Portela ou da Mocidade, poderá devolver o ingresso. Mas não será possível trocar por outro dia no Sambódromo.

“Apesar de não estarem concorrendo, as três escolas farão um carnaval de muita garra e dedicação”, afirmou o prefeito. “Com todo respeito ao Paulo Barros (carnavalesco da Unidos da Tijuca, campeão do desfile em 2010) não há mágica, nem filme de terror (alusão aos enredos da Unidos da Tijuca em 2010 e neste ano) que ele possa fazer que vá superar a paixão e o amor do povo de Oswaldo Cruz e Madureira, da Ilha do Governador e de Caxias (berço das três escolas atingidas). Vai ser emocionante”, declarou Paes.

O prefeito informou também que estuda uma ajuda extra da Prefeitura às três agremiações prejudicadas como colaboração para que refaçam suas fantasias.

O presidente da Liesa, Jorge Castanheira, anunciou também que os eventos promovidos semanalmente na Cidade do Samba estão cancelados para permitir que toda a área seja usada pelas escolas que perderam seus barracões.

    Leia tudo sobre: Carnaval RioincêndioGrande RioPortelaUnião da Ilha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG