Policiais militares que liberaram motorista vão depor esta semana

PMs que teriam abordado carro que atropelou Rafael, filho de Cissa Guimarães, estão sendo investigados por Corregedoria Interna

Bruna Fantti e Daniel Gonçalves, especial para o iG |

nullO cabo e o sargento do 23ºBPM (Leblon) que teriam abordado o carro que atropelou Rafael Mascarenhas, de 18 anos, filho da atriz Cissa Guimarães, vão depor ainda esta semana no Quartel-General da Polícia Militar, Centro do Rio de Janeiro. Eles foram afastados das ruas nesta quarta-feira (21). Segundo a PM, a Corregedoria Interna da corporação já está investigando a conduta dos policiais na abordagem ao possível veículo que atingiu Rafael na madrugada de terça-feira (20), na pista sentido Gávea do Túnel Acústico, na zona sul da capital fluminense, que estava interditada para manutenção.

A PM informou, por meio de nota, que a decisão de afastar os policiais foi após o aprofundamento das investigações da Polícia Civil. De acordo com a corporação, “a constatação de que o veículo estava seriamente avariado e, pior, sem a placa de identificação, indica que houve erro por parte dos policiais não buscando elucidar o motivo daquelas irregularidades”.

Ontem, a PM divulgou uma nota dizendo que os policiais haviam realizado revista no motorista, identificado como Rafael de Souza Bussamra, na rua Padre Leonel Franca, a 7 quilômetros do túnel. Devido à baixa luminosidade, os PMs não teriam identificado no carro Siena preto qualquer indício de crime. Porém, o veículo que atropelou Rafael, que está estacionado na 15ª DP (Gávea), apresenta parte da frente destruída. O condutor apresentou os documentos e, como estava dentro da normalidade, foi liberado em seguida. Contudo, câmeras da CET-Rio mostram uma viatura da PM acompanhando um carro de cor escura a cerca de 200 metros da saída do túnel. Logo após a divulgação das imagens, a PM informou que os policiais estavam afastados das ruas.

Em depoimento o motorista que admitiu ter atropelado Rafael disse que foi parado por policiais militares e que informou sobre o acidente. Ele alegou que teria sido aconselhado a procurar uma delegacia para registrar a ocorrência. O Siena foi encaminhado para a 15ª DP (Gávea). Agentes da delegacia realizaram na quarta-feira uma perícia no carro de Rafael de Souza Bussamra, que confessou ter atropelado Rafael. Para a Polícia Civil, caso seja comprovado que Bussamra realmente disse a verdade aos PMs, e que o carro abordado pelos policiais nas imagens da CET-Rio era o dele, os policiais cometeram crime militar. No entanto, eles não podem ser autuados porque devem responder a Inquérito Policial Militar (IPM) na Corregedoria da PM.

Na terça-feira a delegada Bárbara Lomba afirmou que iria apurar por que os policiais militares teriam apenas escoltado o possível carro que provocou o acidente até a saída do Túnel Acústico sem encaminhar os ocupantes até a delegacia, embora o motorista tenha avisado sobre o atropelamento.

Rafael Mascarenhas morreu após ser atropelado na madrugada de terça-feira (20) enquanto andava de skate com alguns amigos no Túnel Acústico. Ele chegou a ser socorrido e encaminhado para o Hospital Miguel Couto, no mesmo bairro, mas não resistiu aos ferimentos. A pista do estava interditada para manutenção, mas mesmo assim dois carros passaram pelo local.

Amigos acreditam que motoristas faziam racha

AgNews
Cissa Guimarães chega ao velório do filho caçula Rafael
Os dois amigos que estavam andando de skate com o estudante Rafael Mascarenhas, pouco antes de ele ser atropelado e morto, afirmaram nesta quarta-feira que o motorista do Siena preto que atropelou Rafael disputava um "racha" com os ocupantes do outro carro, um Honda Civic.

"Nós vimos os dois carros passando no sentido que estava aberto, para a Barra (da Tijuca, zona oeste). Eles estavam em alta velocidade, sim. Estava batendo pega", disse Luiz Quinderé, 19 anos. A afirmação foi feita nesta quarta-feira, no velório do estudante de 18 anos que está sendo realizado no cemitério Memorial do Carmo, no Caju (zona norte). O rapaz contou que os amigos costumavam andar de skate no túnel quando estava fechado para manutenção.

O irmão mais velho de Rafael, Thomaz Velho, disse que espera punição ao responsável pela morte. "Foi uma história linda a do meu irmão. Ele era uma pessoa linda e adorada por todos. É triste, mas eu, particularmente, acho que a vida não é só feita de coisas maravilhosas, tem dramas e este é um drama na nossa vida", disse.

Vários artistas estiveram no velório demonstrando solidariedade à atriz Cissa Guimarães, mãe de Rafael, que chegou ao cemitério por volta das 11h muito abatida e não deu declarações. Entre os amigos, estiveram no velório, os atores Miguel Falabella, Maitê Proença, Cláudia Gimenez e Marília Pera, além do diretor da TV Globo Boninho, entre outros. Segundo parentes, o pai de Rafael perdeu o vôo que o traria da Itália e só deve chegar ao Brasil amanhã.

*Com informações da Agência Estado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG