Policiais civis suspeitos de tortura no Rio são soltos

Prazo de prisão temporária venceu hoje. Eles são acusados de agredir homem para pressioná-lo a reconhecer ladrões de carros

iG Rio de Janeiro |

Os cinco policiais civis suspeitos de terem praticado tortura na delegacia de Botafogo (10ª DP), na zona sul do Rio de Janeiro, em fevereiro, foram soltos na madrugada desta quinta-feira (21), segundo informações da Secretaria Estadual de Administração Penitenciária.

Os agentes estavam presos desde o último dia 6 e foram liberados porque hoje venceu o prazo de prisão temporária. Os policiais, que foram denunciados pelo Ministério Público Estadual, estavam no presídio Bangu 8, na zona oeste da cidade.

A vítima é um funcionário de um ferro-velho da Região dos Lagos que teria sido coagido, por meio de tortura, a reconhecer dois autores de furtos de carros na área de atuação da delegacia como fornecedores de peças para o seu ferro-velho

O homem afirmou à Corregedoria da Polícia Civil ter sido agredido pelos agentes com socos na região genital. Em seguida, os policiais usaram um alicate para pressionar seus órgãos genitais, em busca do reconhecimento dos ladrões. A vítima disse ainda ter sido ameaçada caso denunciasse a tortura.

O exame de corpo de delito confirmou a existência de marcas de tortura nos locais informados e uma lesão na mão da vítima. Um alicate compatível com os ferimentos foi localizado na delegacia e reconhecido pelo homem agredido.

Após as denúncias, o titular da unidade, delegado José Alberto Pires Lage, foi afastado do cargo.

    Leia tudo sobre: policiaistorturario

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG