Polícia prende suspeitos de tráfico na Mangueira, no Rio

Entre eles está Vaguinho do Cruzeiro, apontado pelas autoridades como braço direito de Polegar, que está foragido há um ano

Daniel Gonçalves e Anderson Ramos, especial para o iG |

Cerca de 100 policiais civis da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) e de diversas delegacias especializadas fazem uma operação desde a manhã desta sexta-feira no Morro da Mangueira, na zona norte do Rio de Janeiro. Sete suspeitos foram detidos e quatro presos, entres ele Vaguinho do Cruzeiro, apontado pelas autoridades como braço direito de Alexander Mendes da Silva, o Polegar, que está foragido há um ano desde que recebeu permissão para sair da prisão no Natal passado.

Segundo a polícia, Vaguinho foi um dos bandidos que fugiu da favela da Vila Cruzeiro, na Penha, na ocupação no final do mês de novembro. Já Polegar é apontado como um dos chefes do tráfico de drogas na Mangueira.

A mulher de um homem conhecido como Zezinho, também suspeito de ser traficante, foi presa na ação em uma casa no alto da favela. A polícia informou que ela estava com cocaína e que Zezinho fugiu minutos antes da chegada dos agentes pulando a janela.

Um suspeito de envolvimento com o tráfico foi baleado na região conhecida como Telégrafo. Ele foi encaminhado para o Hospital Souza Aguiar, no Centro, e ainda não há informações sobre seu estado de saúde.

Uma passagem subterrânea foi encontrada em uma casa em baixo de uma pia. O caminho dá acesso a um terreno baldio e tem aproximadamente 15 metros e cumprimento e um de altura.

Segundo o delegado da Polinter Túlio Pelosi, um dos objetivos da operação é combater o tráfico de drogas na favela. "A gente veio aqui também cumprir mandados de prisão de traficantes do Complexo do Alemão e da Vila Cruzeiro que fugiram para esta favela", afirmou ao iG .

Dois veículos blindados dão apoio à ação, que conta ainda com dois helicópteros da corporação. Foram apreendidos quantidade não contabilizada de maconha, cocaína e crack, além de uma metralhador.

PMs do 4º BPM (São Cristóvão) reforçaram a segurança no entorno da Mangueira para evitar que criminosos queimem ônibus nos acessos à favela. De acordo com a polícia, essa é uma prática comum dos bandidos sempre que há operações na região.

Anderson Ramos
Blindado da polícia, conhecido como caveirão, entra no Morro da Mangueira

    Leia tudo sobre: mangueiratráfico de drogastiroteio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG