Polícia prende braço financeiro da principal milícia do Rio

Suspeito preso era responsável pelas finanças da Liga da Justiça. Tinha um bracelete e um relógio de ouro

iG Rio de Janeiro |

A Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro prendeu nesta terça-feira (10) um suspeito de ser o responsável pelas finanças da milícia conhecida como Liga da Justiça, que atua na zona oeste da capital fluminense

Segundo o titular da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (Draco), delegado Alexandre Capote, o miliciano identificado como Fábio Nadaes Moraes, de 31 anos, era investigado há cerca de um mês. Nesta tarde, foi cumprido o mandado de prisão pelo crime de formação de quadrilha armada.

Fábio foi preso ao ser surpreendido no momento em que falava em um telefone público, perto de sua casa, no bairro Andréia, em Campo Grande, na zona oeste. Com ele foram apreendidos R$ 10 mil, um bracelete e um relógio de ouro, anotações do fornecimento clandestino de sinal de TV a cabo (gatonet) e de transporte irregular.

A milícia Liga da Justiça que em 2007 iniciou uma expansão pela zona oeste do Rio. Após investigações e sucessivas prisões foi desarticulada, no entanto, ainda há membros investigados e as prisões continuam. Seus principais chefes eram o ex-deputado estadual Natalino Guimarães, seu irmão, o ex-vereador Jerônimo Guimarães, o Jerominho, e o ex-PM Ricardo Teixeira da Cruz, o Batman, todos presos. Atualmente, o principal nome nas ruas é o ex-PM Tôni Ângelo.

O combate às milícias é uma prioridade para a Secretaria de Segurança. Há cinco anos o trabalho de Inteligência das forças de segurança resultou na prisão de mais de 640 pessoas e mais de 1000 policiais expulsos nesse período.

    Leia tudo sobre: milíciasLiga da Justiça

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG