Polícia prende 23 em ação contra fraudes na secretaria de saúde

De acordo com investigações, duas funcionárias terceirizadas incluíam "funcionários-fantasmas" no sistema de RH da Secretaria Estadual de Saúde

iG Rio de Janeiro |

Agentes da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança do Rio realizam nesta sexta-feira (1) uma operação para prender integrantes de uma quadrilha acusada de fraudar a folha de pagamento da Secretaria de Estado de Saúde. De acordo com as investigações, os membros do grupo incluíam “funcionários fantasmas” no sistema de recursos humanos para desviar verbas. Até as 11h30, 23 pessoas foram presas na operação, com dois mandados de busca e apreensão executados. Segundo a Secretaria de Segurança, não há previsão para o término da operação.

Iniciadas há dois meses, as investigações identificaram 44 “funcionários fantasmas” incluídos no sistema da Secretaria de Estado de Saúde. A estimativa é de que o esquema tenha provocado em quatro meses um prejuízo de pelo menos R$ 200 mil aos cofres estaduais.

Agência O Globo
Policiais prenderam Geovana de Paula Santos (casaco roxo), que participaria de fraude, em sua casa, no bairro de Anchieta, no Rio
De acordo com a Secretaria de Estado de Segurança do Rio, a inclusão fraudulenta de inúmeros indivíduos na folha de pagamento da Secretaria Estadual de Saúde era cometida por duas funcionárias terceirizadas. Entre os “funcionários fantasmas” identificados estão dez membros de uma mesma família.

A maioria dos indivíduos incluídos ilegalmente é composta por moradores da Baixada Fluminense. Essas pessoas estão entre as que tiveram mandados de prisão expedidos. Para a Secretaria de Estado de Segurança do Rio, eles sabiam do esquema montado, uma vez que, forneceram suas contas bancárias particulares para que as funcionárias terceirizadas inserissem no sistema de folha de pagamento.

Os presos irão responder pelos crimes de formação de quadrilha, peculato e inserção de dados falsos em sistema de informações. Eles poderão pegar até 27 anos de reclusão pelos crimes.

No total, foram expedidos 31 mandados de prisão temporária e dois de busca e apreensão. Cerca de 115 policiais participam da ação desta sexta-feira, que conta com o apoio da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), do Núcleo de Lavagem de Dinheiro da Polícia Civil e da 1ª Central de Inquéritos do Ministério Público.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG