Polícia ouve médicos que atenderam bebê que teve perna amputada

Delegado quer esclarecer circunstâncias em que bisturi lesionou perna de recém-nascida durante cirurgia

iG Rio de Janeiro |

Dois médicos do Instituto Fernandes Figueira (IFF), que participaram da cirurgia da recém-nascida Kamyle do Nascimento, prestam depoimento na manhã desta segunda-feira (14), na 9ª DP (Catete). O titular da delegacia, Pedro Paulo Pinho, pretende esclarecer as circunstâncias em que Kamyle teve uma perna amputada após uma cirurgia de tratamento de sua hidranencefalia - acúmulo de líquido no lugar de parte do cérebro. 

A menina passava por uma cirurgia para amenizar a pressão intracraniana, quando sofreu uma queimadura na perna direita ocasionada por um bisturi elétrico.

A lesão provocou o rompimento definitivo de vasos sanguíneos e a consequente amputação do membro.

A criança segue internada na UTI do Instituto Fernandes Figueira, unidade federal que é especializada no atendimento neonatal e pediátrico de média e alta complexidade, localizado no Flamengo, na zona sul da cidade. Seu quadro de saúde é estável.

    Leia tudo sobre: bebêperna amputada

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG