Polícia investiga vídeo que mostra execução em morro do Rio

Autoridades tentam identificar autores dos disparos que aparecem em imagens

iG Rio de Janeiro |

A Polícia Civil abriu um inquérito para identificar os autores dos disparos feitos contra um suposto traficante no Morro do Fallet, no Catumbi, zona norte do Rio, em setembro do ano passado. O momento exato do ataque está postado em um vídeo no You Tube. As imagens mostram o suspeito - identificado como Alex Martiniano da Silva, o “Cheiroso” - caminhando ao lado de dois homens até ser atingido por um tiro.

De acordo com as investigações, os disparos teriam sido feitos do Hospital Quarto Centenário, em Santa Teresa, que está desativado. Nas imagens, não dá para identificar de onde partiu os tiros, mas ouve-se uma conversa antes do ataque. Os autores dos disparos realizam uma contagem regressiva.

A Polícia Militar informou que não há indícios de envolvimento de agentes da corporação no ocorrido. Segundo a PM, naquele dia não ocorreu nenhuma operação do batalhão da área e nem do Bope na região. A Corregedoria da PM acompanha as investigações da Polícia Civil e será acionada caso seja necessário.

O Hospital Quarto Centenário é policiado por soldados do 1º BPM (Estácio) por determinação do Ministério Público estadual por ameaça de invasão do prédio. A unidade desativada fica próxima ao Morro da Coroa, controlado por uma facção rival ao do Morro do Fallet. De acordo com a polícia, “Cheiroso”, que morreu, seria o traficante número 2 na hierarquia do crime na comunidade.

Sedundo o delegado titular da 7ª DP, Ricardo Codeceira Lopes, oficialmente constaria no inquérito da morte dele que o criminoso foi deixado por comparsas ferido na porta do Hospital Souza Aguiar, no Centro do Rio, após ter sido baleado no tórax, no Morro do Fallet. O laudo cadavérico aponta que ele chegou a ser operado, mas não resistiu e morreu no centro cirúrgico.

"Sabíamos apenas que o traficante tinha sido baleado na comunidade, sem maiores esclarecimentos. O que vi na imagem foi um homicídio. A identificação do traficante já está confirmada. Sobre o autor do disparo, nenhuma hipótese está descartada, mas seria leviano especular", disse o delegado, que assistiu hoje o vídeo pela primeira vez. Ele não descarta a realização de uma reconstituição para saber com exatidão de onde partiu o disparo.

O vídeo foi divulgado na sexta-feira por um homem que se identifica no YouTube como Fernando Cansado, de 24 anos. Além da filmagem, a outra atividade dele no site é um comentário sobre a morte de um assaltante, que mantinha uma mulher como refém. O delegado informou que também investigará os autores da filmagem e da divulgação do filme.

* Com informações da Agência Estado

    Leia tudo sobre: tirostráfico de drogaspolícia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG