Polícia investiga se mortes de bebês têm ligação com falso médico preso

Estudante de medicina se fazia passar por obstetra e ginecologista na Baixada Fluminense

iG Rio de Janeiro |

Policiais civis da Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Saúde Pública (DRCCSP) investigam se algumas mortes de bebês e gestantes ocorridas nos últimos meses no Hospital das Clínicas de Belford Roxo têm ligação com a atuação do falso médico Silvino da Silva Magalhães, de 41 anos. Estudante do 9º período de medicina, ele se fazia passar por obstetra e ginecologista e foi preso em flagrante no último domingo .

nullSegundo a polícia, Magalhães irá responder pelos crimes de exercício irregular da profissão e falsidade ideológica. O falso médico tinha carimbo e receituário com seu nome. A direção do Hospital das Clínicas, localizado no Baixada Fluminense, informou que não sabia que Magalhães ainda era estudante.

Entre a documentação entregue pelo falso médico na admissão estavam sua carteira do Conselho Regional de Medicina (CRM) e seu diploma. Ambos documentos eram falsificados, informou a assessoria a Polícia Civil. O presidente do CRM, Luís Fernando Moraes, já ordenou a abertura de uma sindicância para investigar o caso.

Policiais da DRCCSP também estão à procura de outro suposto médico que fugiu com a chegada dos agentes ao hospital. Segundo levantamentos feitos pela polícia, o homem, que seria boliviano, não teria registro para exercer a profissão no Brasil.

Em agosto, agentes da Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Saúde Pública prenderam o estudante de medicina Alex Sandro da Cunha Souza , que se fazia passar por pediatra. Sem prestar o tratamento adequado a uma menina de cinco anos, a paciente morreu após permanecer 27 dias internada. Souza e a médica Sarita Pereira, que o contratou, foram denunciados à Justiça por estelionato e exercício irregular da medicina com resultado morte.

    Leia tudo sobre: falso médicofalsidade ideológica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG