Polícia enviará ofício à TV Globo para solicitar vídeo de atirador

Seseg afirma não saber a procedência da filmagem em que Wellington de Oliveira fala sobre motivação do crime

iG Rio de Janeiro |

Reprodução/Agência O Globo
Wellington conta detalhes de como planejou os crimes
A assessoria da Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro (Seseg) informou que a Polícia Civil enviará um ofício à TV Globo solicitando a filmagem em que o atirador Wellington Oliveira, de 23 anos, fala sobre como planejou o ataque à escola, além de querer saber a sua procedência. Na ação, ocorrida na última quinta-feira (7), 12 estudantes morreram e outros 12 foram baleados. Cinco continuam internados, sendo um em estado grave.

A Seseg disse que a filmagem não consta nos autos de investigação da Divisão de Homicídios, responsável pelo caso, e que todo o material apreendido já foi divulgado para a imprensa.

A chefe da Polícia Civil, Martha Rocha, ao ser indagada pela reportagem do iG na manhã desta quarta-feira (13), se limitou a dizer que "o vídeo não foi encontrado na casa do Wellington, no HD do seu computador, ou na bolsa que deixou na escola".

A assessoria de imprensa da TV Globo informou que a emissora enviará os vídeos para a polícia.

Imagens mostram atirador dando detalhes sobre o crime

Nas novas imagens, Oliveira diz que o vídeo foi gravado na terça-feira (5) - dois dias antes da tragédia. Na primeira parte exibida, o atirador aparenta estar calmo e, sem muito nexo, fala qual foi a sua motivação. "A luta pela qual muitos irmãos no passado morreram e eu morrerei não é exclusivamente pelo que é conhecido como bullying. A nossa luta é contra pessoas cruéis, covardes, que se aproveitam da bondade, da inocência, da fraqueza de pessoas incapazes de se defenderem"

Em outro trecho, o assassino diz que esteve na escola na segunda-feira anterior ao massacre e que raspou a barba para não chamar atenção. Em fotos divulgadas pela polícia, o atirador apareceu usando barba semanas antes do ataque.

    Leia tudo sobre: escola municipalatiradortragédiaviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG