Polícia Civil do Rio anuncia mudanças na cúpula

Oito cargos foram trocados; alterações foram realizadas dias após juiz ser baleado em blitz da instituição

Anderson Dezan, iG Rio de Janeiro |

O chefe da Polícia Civil do Rio, Allan Turnowski, anunciou nesta quarta-feira (13) a mudança de oito nomes integrantes da cúpula da instituição. Segundo ele, a mudança foi tomada após uma reunião com o secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame. A troca acontece dias após o episódio em que o juiz trabalhista Marcelo Alexandrino e sua família foram alvos de tiros em uma blitz de agentes da 41 DP (Tanque).

Com a troca, Rodrigo Oliveira assume a subchefia operacional; a subchefia administrativa passará a ser comandada por Fernando Albuquerque; a chefia de gabinete ficará a cargo de José Augusto de Souza; a corregedoria de polícia terá o comando de Gilson Emiliano; a diretoria-geral de polícia especializada ficará sob a responsabilidade de Ronaldo Oliveira; o delegado Herald Espíndola assume a diretoria-geral de polícia da capital; a coordenadoria-geral de polícia de Niterói terá a chefia de Marcus Neves; e o departamento-geral de polícia técnico-científica será comandado por Sérgio Henriques.

Foram mantidos nos cargos Roberto Cardoso à frente da diretoria-geral de polícia da Baixada, e Antonio Carlos de Carvalho à frente da diretoria-geral de polícia do interior. “Essas são mudanças de rotina. Já existiam algumas mudanças que queríamos fazer, mas esperamos o momento certo. São trocas para motivar ainda mais a polícia”, disse Turnowski.

Ainda segundo o chefe de Polícia, os novos nomes terão que, entre suas metas, dar continuidade a projetos desenvolvidos pela gestão anterior como a Divisão de Homicídios e a Cidade da Polícia ( prédio a ser construído na zona norte do Rio que irá reunir todas as delegacias especializadas).

Turnowski fez questão de frisar que as alterações não foram realizadas em virtude de episódios como o do juiz baleado. “Foi um problema que a polícia não quis esconder e está usando os erros para se aprimorar. A resposta que demos no caso foi correta. Demos toda a assistência à família e os responsáveis pelos tiros estão respondendo”, afirmou.

O chefe de Polícia Civil não adiantou se haverá mudanças no comando das delegacias distritais. De acordo com ele, os atuais delegados serão avaliados e, caso haja necessidade, ocorrerão mudanças. 

    Leia tudo sobre: polícia civilcúpula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG